SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 23 Junho 2021, 12:08

Mês dos Gatos

Comemorei o meu aniversário no início desta semana. A data recordou-me uma conversa que tive no Jardim de Infância com a querida Irmã Inês. Disse-lhe que fazia anos em janeiro. Respondeu-me: “fazes anos no mês dos gatos.” Senti-me orgulhosa, de tão apaixonada que sempre fui por animais, mas intrigada. O que significava isso de haver um “mês dos gatos”? Primeiro, devo explicar alguns conceitos. O estro, ou cio, é o período em que as fêmeas se encontram recetivas ao acasalamento e férteis. Todo o processo fisiológico mediado por hormonas, entre cada estro, é designado por ciclo éstrico. Um ciclo éstrico compreende várias fases que, de uma forma muito sucinta, implicam que uma fêmea tenha momentos em que não se encontra fértil e outros em que estará apta a reproduzir-se. Esta é a base geral para se compreender a reprodução da maioria das fêmeas mamíferas (maioria, não todas, porque as primatas têm um ciclo menstrual, completamente diferente!). E no caso particular das gatas? No que diz respeito à periodicidade do ciclo éstrico, as gatas são “poliéstricas sazonais”: têm vários cios durante uma fase do ano, para desespero de muitos donos e outros incautos que oiçam os miados estridentes. E tudo isto, porquê? Por causa do número de horas de luz do dia! Em janeiro, os dias começam
novamente a crescer, começam a ganhar horas à noite, que fica cada vez mais pequena. E é com este aumento do número de horas do dia que as hormonas das nossas amigas “despertam” para a reprodução. Até meados de outubro, quando os dias já perdem para as noites, sucede-se uma série de cios, cada um com duração de cerca de uma semana, a cada duas a três semanas. Desesperante? Com a minha gata, foi. Já tinha marcada a esterilização da Amêndoa, quando ela teve o seu primeiro (e único) cio. Tive a sorte de trabalhar num hospital veterinário e poder levá-la comigo, para que não miasse em casa (audível do 2º andar para a rua). Posteriormente, esterilizámo-la, e continua uma gata feliz. Com que idade pode esterilizar a sua? As opiniões na comunidade veterinária não são consensuais, mas o ideal é ser antes do 1º cio, por volta dos 6 meses. Esta é a melhor opção para lidar com os cios: evita gravidezes indesejadas e evita problemas de saúde futuros, como infeções uterinas e tumores mamários. A pílula, ou outros contracetivos hormonais, não são uma opção: adiam parte de um problema, e antecipam outros, que apenas se resolvem cirurgicamente. Muita paciência para estes dias, e, assim que puder, esterilize a sua gatinha. Ganha anos de vida (feliz)!

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados