SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 19 Junho 2021, 06:42

Direcção do Atlético Riachense explica as razões da não subida de divisão

 

A direcção do Clube Atlético Riachense convidou sócios e jornalistas, na quarta-feira, dia 3, para explicar porque razões optaram por não subir de divisão. O riachense ganhou no campo o direito à subida e a inédita decisão de não subir de divisão, da actual direcção, não foi consensual.

 

Presentes na reunião estiveram a direcção e os restantes órgãos sociais do clube. Jorge Pereira, o Presidente, começou por explicar que aquela fora «uma decisão difícil» e que sabiam de antemão que iria «gerar controvérsia», pois nem todos «iriam estar de acordo». A direcção justificou a decisão dizendo que tiveram em conta uma série de factores e que foram todos tidos em conta, avançando que a subida apontaria para uma subida de custos na gestão do clube, o que seria incomportável, ao que se associaria «a probabilidade de ir “cair” na série E do nacional», o que seria factor para um maior afastamento dos sócios da equipa, já que obrigaria o clube a deslocações maiores e sendo a série mais competitiva o riachense, muito provavelmente, estaria arredado da luta pelos primeiros lugares. O campeonato regional, por sua vez, afigura-se como «mais atractivo pela sua competitividade, e acima de tudo, acima dos aspectos desportivos, é mais fácil garantir a estabilidade do clube», pois no campeonato regional «gerem-se melhor as despesas e a vida do clube». Subindo de divisão, para manter o nível competitivo que até agora o riachense teve, teria de «apostar em ter um plantel mais caro». Participando no campeonato distrital, onde militam os tradicionais rivais do riachense, aumenta a possibilidade de haver melhores receitas em casa, pois o interesse que os jogos despertam é maior.

 

A direcção continuou a apresentar as justificações da decisão lembrando que na região há clubes que estão em pior situação financeira que o Clube Atlético Riachense, «Sabemos todos das dificuldades dos nossos vizinhos, como é o caso dos Ferroviários que pediu a insolvência, ou como a situação que se vive no Clube de Torres Novas. E isso é o que não queremos para o Clube Atlético Riachense», e rematou Jorge Pereira, «Não devemos ter aspirações descontextualizadas da realidade actual». Em seguida recordou que os apoios financeiros, das entidades governamentais ou das empresas, «são cada vez menores», pois como é sabido «o país está a atravessar dificuldades». A terminar a sua argumentação declarou, «Quando vemos a casa dos outros a arder temos de tentar que a nossa não arda também», disse justificando de um forte controlo financeiro.

 

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados