SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 22 Junho 2021, 20:35

Torres Novas vai perder sete juntas de freguesia

p1_freguesias_grd1

Foi conhecida no final da semana passada, na quinta-feira, dia 8, a proposta da comissão técnica para reorganização administrativa das freguesias. Para Torres Novas essa comissão propõe a agregação de sete freguesias. Não se tratará apenas de semântica, diz o Governo, pois os órgãos de gestão das freguesias é que são extintos, passando a existir uma só entidade gestora para um território maior, com mais dinheiro e competências, promete o Governo. Nascem agora as “Uniões” de freguesias, desconhecendo-se ainda onde é que irão ficar as futuras sedes.

Antes de mais apresentamos as alterações para o concelho de Torres Novas. Surgem as Uniões de Freguesias que vão agregar: Olaia e Paço; São Pedro, Lapas e Ribeira Branca; Santa Maria, Salvador e Santiago; Brogueira, Parceiros de Igreja e Alcorochel. A Meia Via, por força dos critérios da proposta acaba por se “salvar”, visto que teve um índice de crescimento populacional muito superior a todas as outras nos últimos dez anos.

O mapa do concelho de Torres Novas vai ser alterado, com consequências práticas a contar das próximas eleições autárquicas, lá para outubro ou novembro do próximo ano. Como dizia um anónimo com alguma graça nas redes sociais esta proposta do Governo para as autarquias «até é boa, os autarcas é que não gostam dela». E ao longo dos meses em que se foi discutindo foram vários os argumentos apresentados contra a agregação de freguesias. Enumerando apenas alguns lembramos que os presidentes de juntas provaram que não são as freguesias que encarem o Orçamento de Estado; grande parte dos deputados municipais disse não estar mandatado para votar a extinção/agregação de qualquer freguesia; acusou-se PS e PSD, que assinaram o memorando da Troika em fevereiro, de ir atrás do “mais fraco”, pois em vez da agregação de municípios foi-se fazer uma agregação de freguesias. A favor da agregação, para além do cumprimento do memorando da Troika, não se ouviram grandes argumentos. Com uma exceção, de se poderem agregar sem grandes “dramas” as freguesias do centro urbano de Torres Novas.

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados