SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 12 Junho 2021, 19:02

Clube Desportivo de Torres Novas soprou 87 velas

Mais de 100 pessoas participaram no no jantar comemorativo dos 87.º aniversário do Clube Desportivo de Torres Novas, no sábado, dia 28 de abril, no Hotel dos Cavaleiros.

Nesta ocasião o presidente da Comissão Administrativa do CDTN deixou uma mensagem de esperança aos associados, atletas e simpatizantes ali presentes.

Deixou expressa a esperança “de voltarmos a ter apoios estatais para a formação dos nossos jovens, a esperança de ter a autarquia, repito a autarquia, representada nos jantares de aniversário do nosso clube independentemente de gostarem ou não dos órgãos sociais que lá estejam, a esperança de ter um sintético no estádio (devemos ser o único concelho de Portugal que não possuí este tipo de equipamento para a pratica do Futebol), a esperança dos nossos atletas poderem voltar a utilizar o autocarro da CMTN (como fazem todos os clubes que nos visitam) sempre e quando estejam a competir em Campeonatos Nacionais, a esperança de não termos que comprar por muito mais tempo a tinta para marcar o relvado e o pelado no Municipal Dr Alves Vieira”, disse João paulo de Sousa Martins.

“E digo esperança porque certezas só temos aquelas que nos são dadas pelos amigos, sócios, simpatizantes e órgãos socais do CDTN, que desde alguns anos a esta parte, e lutando contra tudo e contra todos, têm mantido este emblema vivo, incentivando os actuais órgãos sócias a não desistirem”, acrescentou ainda.

87 anos

Como caracteriza a caminhada que tem sido feita pelo Clube? Foi a pergunta que O Almonda colocou ao presidente do CDTN numa curta conversa.

“A caminhada feita pelo nosso clube, nos seus mais de 87 anos de vida, confunde-se com o trilho feito pela nossa terra, a bonita cidade de Torres Novas. É uma caminhada feita por centenas e centenas de torrejanos, das mais variadas classes sociais e politicas, que, nas últimas décadas, e muitas vezes sacrificando as suas vidas pessoais e profissionais, levaram o nosso emblema “verde e amarelo” aos mais altos patamares desportivos. O CDTN foi e continuará a ser o grande pólo aglutinador na área desportiva do nosso concelho, ou seja, o clube de toda a gente da nossa terra.

O dirigente não passar o momento sem lançar ainda algumas acusações. “E só não o é ainda mais, porque infelizmente, e ao contrário daquilo que o bom senso aconselha, continuamos a fomentar a intriga, a divisão e as conversas de escárnio e mal dizer entre a nossa gente, bem como a criação de novas entidades desportivas locais, em vez de elevarmos as existentes, fortalecendo-as tanto no plano social como no desportivo. Veja-se o que aconteceu nos últimos anos com o Judo, o Ténis, o Futsal e muitas outras, outrora secções independentes do CDTN, e agora a funcionarem como clubes independentes. Seria bom recordar que existem no nosso concelho dezenas e dezenas de coletividades e associações só na área desportiva, cada vez mais frágeis e sem pessoas disponíveis para comporem os seus órgãos sociais. Enquanto em outras paragens as pessoas são aconselhadas e incentivadas pelo poder politico a unirem-se e a fortalecerem-se, na nossa terra faz-se exactamente o contrário”, afirma.

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados