SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 12 Junho 2021, 13:23

Mães Coragem

No próximo domingo, dia 6 de maio, comemora-se o Dia da Mãe. O Almonda foi ao encontro de Mães determinadas, lutadoras e cheias de coragem. Mães que têm em comum o facto de estarem desempregadas, mas nem por essa razão baixam os braços.

Susana Neves está desempregada há dois anos. Vale-lhe o apoio da família, quanto mais não seja com palavras de incentivo e encorajadoras, nesta difícil tarefa de ser mãe. Uma mãe que sofre porque não pode dar aos filhos tudo o que desejaria. Desempregada, a família vive com o vencimento do marido, pintor na construção civil.

“É muito complicado. O dinheiro não estica, e vai uma parte para a farmácia, pois tenho uma criança com problemas de hiperatividade”, desabafa Susana Neves.

“Uma grande ajuda tem sido o Centro Comunitário O Rosto, que me tem apoiado muito”, diz ainda. Uma ajuda que esta mãe retribui ao trabalhar ali como voluntária.

“No mês de março, fui ao ROSTO dizer que os meus filhos não podiam vir para o ATL (Atividades de tempos Livres), porque já não havia dinheiro. Nesse mês não tinha dinheiro nem para o pão. Foi uma grande conta na farmácia…” recorda com um olhar triste esta mãe de três crianças, de 8, 9 e 12 anos de idade.

“Os meus meninos são tudo!” Diz Susana Neves com um sorriso que foi mãe pela primeira vez aos 20 anos de idade. “Todos os dias lhes recomendo que se portem bem na escola”, acrescenta, ao falar ads suas crianças com um misto de preocupação, mas também de muito orgulho

“É muito difícil ser Mãe, e maior é a dificuldade quando se tem uma criança hiperativa. Mas também existem momentos muito bons, muito doces. Eles também sabem ser muito carinhosos comu«igo. E esses são os momentos que compensam tudo o resto”, afirma sorrindo.

Susana Almeida, para além do nome, tem em comum com a mãe Susana Neves, estar também desempregada, e ser voluntária no Rosto.

Mãe de duas crianças, uma de dois anos e outra de quatro, ilumina-se-lhe o rosto para falar dos filhos, ao dizer, “ser mãe é a minha vida, é a razão do meu viver”.

“Nós pensamos que eles aprendem muita coisa connosco, mas nós também aprendemos muito com eles, todos os dias. Eu fui mãe sem estar preparada para o ser. Não estava à espera e descobri que estava grávida aos sete meses. Mas hoje, sinto um grande orgulho nos meus filhos. É tão bom vê-los crescer e a cada dia que passa, ver como eles têm coisas para nos ensinar”, afirma esta jovem mãe.

Tinha 20 anos, outra coincidência com Susana Neves, quando foi mãe pela primeira vez.

“Depois de sermos mães, já não conseguimos imaginar a nossa vida sem eles”, afirma esta mãe que assume também o papel de pai na criação e educação dos filhos. A união de facto não resultou e a separação surgiu como sendo a melhor solução, explicou-nos. Quem não recebeu bem a notícia da separação foi Daniel, o filho mais velho. “Ele ficou mais mal educado, mais resingão. Tento por isso, ensiná-lo a ser bem educado, digo-lhe para não bater nos amigos e ser bem comportado. É de perquenos que os ensinamos”.

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados