SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 19 Junho 2021, 19:48

Lar João Paulo II apresentado à comunidade

p1-zibreira1_grd

Na Zibreira, no domingo, dia 25 de Setembro, viveu-se um dia de festa, pois procedeu-se à bênção do Lar João Paulo II, do Centro Social Padre José Filipe Rodrigues.

Coube ao Pe. António Frango presidir à cerimónia de bênção das instalações, aproveitando a ocasião para expressar a sua alegria por ver a sua paróquia dotada daquele equipamento de apoio aos idosos, sublinhando que nele irão habitar «irmãos e irmãs depois de uma vida de cansaço e trabalho». Acrescentou ainda o Pe. António Frango que os idosos são «dignos de atenção, carinho, amor e delicadeza», tendo a certeza de que naquelas instalações irão encontrar esses cuidados. O Pároco mostrou-se impressionado com a qualidade da obra, contando que a própria comissão que efectuou a vistoria terá realçado a qualidade do equipamento. Por isso, acrescentou, o Centro Social Padre José Filipe Rodrigues «está de parabéns», pois ultrapassou obstáculos ao longo de um caminho «longo e por vezes penoso». Evocando a determinação da direcção do Centro realçou o empenho e capacidade de concretização das direcções, comentando, «sem a ousadia de alguns o projecto não se teria concretizado», endereçando no final um «obrigado» à comunidade por toda a colaboração e apoio que deu àquela obra.

Eugénia Roque, em nome da direcção do Centro, lembrou que o trabalho «nunca está concluído» e que irá ser necessário contar sempre com a solidariedade. Antes de chamar Encarnação Rosa para dizer algumas palavras endereçou agradecimentos a todos os que contribuíram de alguma forma para que a obra do Lar viesse a ser uma realidade (ver caixa). Encarnação Rosa contou a história do Centro de Dia, recuando aos seus primórdios, quando alguns “carolas” começaram a arranjar refeições para quem precisasse. Informou que pretendia ser «moradora» do Lar, desafiando outros a seguirem-lhe os passos, pois classificou as instalações como sendo «um palácio». Evocando o seu falecido marido, José Rosa, que fora Presidente da Junta da Zibreira e que também esteve ligado ao arranque do Centro De Dia, comentou, «de certeza que o “Zé” Rosa hoje está contente, pois esta obra era um “ideal” dele».

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados