SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 12 Junho 2021, 19:40

Campanha Tampinhas por uma mão para o Rodrigo

 

“O Rodrigo é um menino de 2 anos, de Fão, em Esponsende, que nasceu sem a mão direita. Para poder ter uma vida normal, o Rodrigo precisa de uma mão biónica.

 

Uma empresa da Póvoa de Varzim ofereceu-se para pagar a mão de que o Rodrigo precisa se a família conseguir juntar 18 toneladas de tampinhas de plástico. A família pede a toda a população que colabore nesta causa.

 

Aceitam-se todo o tipo de tampas plásticas: de sumos, águas, detergentes, canetas, champôs, gel, asas de garrafão, entre muitas outras. Sandra Hipólito, a mãe, diz que a campanha se tornou necessária por falta de verbas.

 

“Hoje por ele, amanhã por outro…” – Este foi o apelo que a Marta Farlens viu na rede social do facebook, campanha essa à qual de imediato se quis juntar.

 

A frequentar o 2º ano da disciplina de Sociologia na Escola Profissional de Torres Novas, não deixou por mãos alheias o lançamento deste desafio na escola, entre colegas, professores e funcionários que disseram sim ao desafio. O espaço foi criado na biblioteca com visibilidade e cartazes a recordar a campanha. A caixa está quase cheia, mas a campanha promete continuar na escola sem prazo para o seu final à vista, até porque, segundo adiantou esta aluna, “agora é o Rodrigo que precisa, mas poderão existir mais crianças em iguais situações. É um gesto que não nos custa nada e pode fazer tanto.

 

Esta não é a primeira vez que a Escola Profissional agarra com toda a sua garra campanhas de solidariedade. Ainda não há muito tempo realizaram a Quermesse Solidária, que reuniu uma quantia simpática e cuja receita reverteu a favor da AGIR em Torres Novas. Também b«nesta iniciativa o envolvimento de toda a escola é um factor a destacar.

 

De referir que o despertar para estas iniciativas solidárias tem parte da sua origem nas aulas de sociologia em que a Professora Ana abordou um módulo onde se referenciavam as desigualdades sociais e grupos de risco e lançou o repto aos seus alunos, no sentido de pensarem em iniciativas de cariz solidário que pudessem de alguma forma beneficiar instituições ou grupos mais carenciados, e desta forma minorar as desigualdades sociais.

 

Esta é dentro de pouco tempo a segunda campanha em que esta escola participa activamente. Parabéns à Escola Profissional que está cada vez mais solidária. Venham mais campanhas.

 

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados