SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 22 Junho 2021, 08:55

Sobe e Desce para 2011

p1-f11

 

Os portugueses vão ter o custo de vida bastante agravado este próximo ano. “O Almonda” fez um pequeno estudo onde procura reunir as principais fontes de agravamento do custo de vida, tanto a nível nacional como a nível local.

 

Embora aqui se mencionem apenas alguns dos factores que sofreram alterações, pode-se constatar que na generalidade as descidas são constituídas por fontes de rendimento, enquanto a maioria das subidas são de fontes de despesa. Isto significa que para além do aumento do valor dos produtos, muitos portugueses contarão ainda com a redução do dinheiro disponível para a compra dos mesmos.

 

Bens e serviços usados diariamente pelos portugueses, como os transportes, água, luz e pão, vão sofrer aumentos. No entanto, estes aumentos vão ser agravados pelo aumento do IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado) de 21% para 23%, aumentando o preço numa variedade enorme de produtos que servem diariamente a população portuguesa. Recorde-se que há apenas 8 anos esta taxa se encontrava nos 17%, aumentando 6% neste intervalo de tempo. Esta subida equivale a dizer que todos os produtos com este imposto estão 6% mais caros, acrescentando-se ainda a natural taxa de inflacção.

 

A diminuição de apoios sociais agrava-se com o aumento do custo de vida e a previsão do aumento de desemprego. O fraco aumento no valor da reforma, os cortes no abono de família, RSI e subsídios de  desemprego não reflectem o aumento do custo de vida que se irá traduzir. Assim como o aumento de 475 para 485€ do salário mínimo não reflectem as verdadeiras necessidades dos que estão limitados a este ordenado. Já os trabalhadores da função pública podem esperar um corte nos salários de 3,5 a 10%.

 

Para além dos agravamentos a nível nacional, o povo torrejano conta ainda com alguns aumentos a nível local. Sendo assim, a atribuição de portagens na A23, o estacionamento pago nalguns locais da cidade e a criação e aumento de taxas municipais, levam a mais um agravamento na carteira.

 

João Rodrigues

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados