SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 14 Junho 2021, 17:23

Campanha do Bloco alerta para habitações devolutas no Centro Histórico

 

No dia 3, sexta-feira, o Bloco de Esquerda (BE) organizou uma iniciativa no Centro Histórico da cidade, sinalizando uma casa em estado degradado. O edifício no Largo Genreal Baracho serviu como exemplo numa acção de sensibilização que pretende justificar as medidas propostas pelo partido à Câmara Municipal.

 

Com a presença do deputado José Gusmão, eleito para a Assembleia da República pelo distrito de Santarém, o grupo do BE colocou um cartaz numa casa degradada com a mensagem “Aqui podia viver gente”, como forma de simbólica de denunciar o que consideram ser um centro histórico degradado. Apontando a degradação como a consequência das políticas dos últimos 30 anos em que se favoreceu a “nova construção”, denunciam o resultado ser uma situação em que “existem muitas casas sem gente e muita gente sem casa”, como se podia ler no comunicado entregue à comunicação social presente e aos torrejanos que por ali passavam. O problema estende-se para além da grande quantidade de casas em ruínas, mas também pela perda pessoas “que habitam o centro terem perdido qualidade de vida, o comércio local passar por grandes dificuldades e as novas gerações terem sido afastadas do centro histórico”, alertando os torrejanos que “o futuro das cidades que não cuidarem dos seus centros é incerto”.

 

O partido viu a aprovação do CHERE – Centro Histórico em Requalificação Estratégica – como um programa muito positivo para o município e lamenta a sua suspensão sobre o argumento “que se esgotou o plafond orçamental”. Para o BE, o CHERE é um programa que deve continuar, por diminutas que sejam as verbas, por ser mais difícil de retomar caso seja suspenso. O grupo argumenta ainda que a recuperação e manutenção do centro histórico reanima a economia de uma forma que as novas construções não conseguem, não só pela quantidade de postos de trabalho, como pela mão-de-obra ter como requisito ser mais qualificada.

 

Um dos aspectos negativos apontados pelo líder do BE, António Gomes, é a não-utilização do programa PROHABITA – Programa de Financiamento para Acesso à Habitação – “nomeadamente para aquisição de habitações e de terrenos e fundamentalmente para reabilitação”. Este programa pode ser usado através da candidatura do município ao INH – Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana – disponibilizando apoios com 50% a fundo perdido e juros beneficiados.

 

João Rodrigues

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados