SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 21 Junho 2021, 23:38

Ministro da Agricultura inaugurou Feira dos Frutos Secos

 

A 25ª edição da Feira dos Frutos Secos, que decorre até ao fim-de-semana de 9 e 10, foi inaugurada pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, António Manuel Soares Serrano. O ministro percorreu o certame, trocando impressões com os expositores e, após a visita, presidiu à sessão solene da inauguração.

 

Pedro Ferreira, que para além de vice-presidente da Câmara de Torres Novas assume a Presidência da Associação Nacional de Frutos Secos e Passados, entidade que organiza a feira, exaltou os 25 anos de exposições sem interrupção. De seguida recordou que os frutos secos, e mais propriamente a apanha do figo, ocuparam milhares de pessoas no concelho de Torres Novas, e mesmo a nível industrial este foi «um sector importante». Depois as exigências comunitárias modificaram o mercado e de alguma forma descaracterizaram-no, pois o que era antes uma economia familiar foi-se tornando cada vez mais profissional, com o poder económico a ditar as regras. Mas o reconhecimento nacional da qualidade dos frutos secos de Torres Novas permitiu a que ainda hoje em dia «se encontrem nichos interessantes», disse Pedro Ferreira. O produto é «único» e tem condições para se afirmar, até porque, sublinhou, «Portugal está a importar 2395 milhões de dólares de frutos secos», e há também espaço para o mercado de exportação, pois países como a Alemanha, a Suíça e a Itália são grandes consumidores de frutos secos.

 

«Desafio às entidades e famílias ligadas ao sector», disse ainda Pedro Ferreira, pois há «bons produtos para revitalizar», seja na sua forma simples, de fruto seco, ou através da confecção, sob a forma de doçaria, chocolates ou até em iogurtes. Disse ainda que seria bom «reunir as partes interessadas» e procurar conciliar com o agro-turismo, pois existem programas de apoio, como o PRODER e o LIDER. Também a ADIRN (Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte) poderá ser um parceiro com quem se pode contar, utilizando as suas infra-estruturas para colocar produto no mercado (através da loja rural em Lisboa). A Feira dos Frutos Secos pode ser um momento de reflexão que «venha a originar uma estratégia para o sector», sugeriu ainda o Presidente da Associação. A rematar a intervenção sublinhou a vinda do ministro, pois foi a primeira vez que um ministro do sector se deslocou à feira, e terminou com um dizer popular que espera que seja auspicioso para o futuro, «Ano de figo torrão é ano de pão».

 

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados