SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 15 Junho 2021, 19:59

Grestejo: Trabalhar o barro português para o mundo

principal_gd

A “Grestejo” teve o seu início em 2001 com a compra das instalações na Zona Industrial de Torres Novas. Mas da fábrica anterior apenas ficaram as paredes, já que a actividade era diferente e foi necessário implantar um novo parque de máquinas. Nesta empresa fabrica-se pavimentos extrudidos, de tipo rústico mas de características avançadas. É feito de uma mistura de argilas portuguesas, de reconhecida qualidade, que lhe deram um poder de resistência muito elevado.

A “Grestejo” é uma empresa “meio” familiar. Hoje em dia Renato e Carlos Marçal, pai e filho, são dois dos principais dirigentes, mas no início estavam outros associados, Carlos Ferreira, Carlos Rodrigues e Carlos Marçal que resolveram comprar as instalações por estas terem um preço atractivo. No comando dos destinos da empresa hoje encontram-se Carlos Marçal e Carlos Rodrigues, sendo que o primeiro é sócio maioritário enquanto que Carlos Rodrigues se ocupa, principalmente, dos recursos humanos.

A “Grestejo” faz pavimentos cerâmicos que são extrudidos, um método de fabrico diferente da prensagem. Os produtos desta empresa não contêm esmalte e são por isso mais resistentes que o azulejo.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados