SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sexta-feira, 18 Junho 2021, 22:05

“A Misericórdia precisa de se modernizar internamente. Temos de ser uma Casa do Século XXI”

p1_misericordia_grd 

Victor Biscaia, o actual Provedor da Misericórdia, de 48 anos, tem a formação de economista e é sócio de algumas empresas, entre as quais a mais conhecida dos torrejanos será a “Districentro”, em Torres Novas, mas também tem experiência em empresas multinacionais e na área financeira.

 

No ano passado recebeu um convite do Pe. Carlos Ramos e do Presidente do Definitório, Josué Patornilho, para que se candidatasse ao cargo de Provedor desta importante instituição torrejana. Natural de Lisboa, reside em Torres Novas há 17 anos, terra que aprendeu a amar.

 

Em Novembro foi-lhe proposto que se tornasse Provedor da Misericórdia, tarefa que aceitou com “Espírito de Missão”. Foi eleito a 4 de Dezembro de 2009 e desde essa altura tem conduzido os destinos da Misericórdia de Torres Novas. Por ser o novo Provedor da Misericórdia, “O Almonda” procurou saber o que de diferente ou de novo há nesta instituição torrejana com quase 500 anos. Nas respostas de Victor Biscaia transparece a vontade de modernizar a Santa Casa da Misericórdia de Torres Novas, preparando-a para enfrentar o futuro.

 

P – Por ocasião da tomada de posse disse a “O Almonda” que queria cumprir com o que fora decidido pelo anterior Provedor, Carlos Faria, dando cumprimento ao Plano de Actividades. Como é que está o cumprimento desse plano?

 

R – Sem entrar em grandes pormenores posso dizer que tudo leva a crer que vamos conseguir cumpri-lo. O plano era ambicioso, mas acreditamos que será possível cumpri-lo. O plano tinha uma componente “religiosa” e uma componente de “gestão”, relacionada com a actividade da Santa Casa. Entre outros, alguns dos assuntos que o caracterizam são investimentos infra-estruturais em valências, que se traduzirão em melhorias nas condições de funcionamento das mesmas.

 

Estamos também envolvidos no projecto de Regeneração Urbana, com benefícios para o edifício da Provedoria e para o Centro de Dia José Maria Viegas Tavares em Torres Novas, bem como na capela do Senhor Jesus dos Lavradores, situada no interior da Igreja de Santiago. Um investimento na ordem dos 360 mil euros. O esforço financeiro da Misericórdia dependerá da percentagem de comparticipação do QREN.

 

P – Mas independentemente do esforço financeiro a ser feito pela Misericórdia a oportunidade é para aproveitar…?

 

R – Sim. Sem qualquer dúvida. Teremos de aproveitar esta oportunidade que o QREN, via Câmara Municipal, nos proporcionou.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados