SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 23 Junho 2021, 03:09

Antecedendo a visita do Papa realizou-se a Peregrinação Diocesana a Fátima

p1_fundo_grd

 

O Domingo, 9 de Maio, foi para a diocese de Santarém o dia da peregrinação a Fátima anunciada pelo bispo, D. Manuel Pelino, no início do Ano Pastoral, para a qual convidou todos os diocesanos.

 

Esta peregrinação, disse D. Manuel Pelino no seu convite, tinha por objectivo revigorar «a vida interior» com «a mensagem e a bênção da virgem Mãe de Deus» pois com o seu exemplo, disse D. Manuel, aprendemos a ser «discípulos de Cristo escutando a palavra de Deus e caminhando na Sua luz».

 

Com este convite o bispo de Santarém abriu os caminhos de todas as paróquias rumo a Fátima. Nem a chuva, nem a proximidade da visita do Papa, arrefeceram o ânimo dos que tinham decidido responder ao convite do nosso bispo, participando nesta peregrinação em conjunto com os seus párocos. Dezenas de autocarros, provenientes das várias paróquias, bem como muitos carros particulares, transportaram milhares de cristãos que, antes das 9 horas, se concentraram junto à Cruz Alta, com os estandartes das suas paróquias e um círio por vigararia, da qual pendiam fitas coloridas.

 

Pelas dez horas, na Capelinha das Aparições, o senhor bispo fez uma saudação aos peregrinos e lembrou os objectivos desta peregrinação. Em seguida rezou-se o terço, com todos os grupos de peregrinos presentes naquele domingo em Fátima. Seguiu-se a Eucaristia no altar exterior do santuário antecedida do cortejo de entrada com os estandartes, o que resultou numa manifestação de cor e fé de belo efeito visual. Presidiu à missa D. Manuel Pelino, acompanhado pelo bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, e por quase todo o presbitério de Santarém. Na homilia, partindo da frase do Salmo, “Que alegria quando me disseram vamos para a casa do Senhor”, o bispo de Santarém associou essa alegria à realização da peregrinação, pois naquele lugar santo evoca-se a visita de Nossa Senhora e «ouvimos mais atentamente o seu apelo à conversão ao Evangelho como caminho para purificar e renovar a Igreja». Mais adiante, citando o Cardeal Ratzinger antes de ser nomeado Papa, “A maior heresia dos tempos actuais é o cansaço da fé, o desgaste com que muitos cristãos vivem a sua relação com Cristo; aquilo que deveria ser motivo de alegria contagiante tornou-se baço”, declarou, «Sem alegria e sem entusiasmo o cristianismo torna-se num formalismo vazio, num ritualismo sem vida» e que deveremos aprender com Maria a escutar e a guardar a palavra de Jesus, pois como diz o Evangelho da missa “Quem me ama guardará a minha palavra e meu Pai o amará. Nós viremos a ele e faremos nele a Nossa morada”.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados