SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 13 Junho 2021, 15:02

A Pobreza mora ao lado

 

Envergonhada ou de cara destapada a pobreza mora cada vez mais ao nosso lado, atinge mais ferozmente os que já passavam dificuldades e aparece de forma dissimulada nos lares onde o desemprego caiu como um relâmpago, nas famílias onde se não conseguem saldar os créditos, nem fazer face às despesas.

 

No Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão a reflexão impõe-se.

Dois testemunhos reais, cujos rostos e nomes ficam no anonimato falam das dificuldades que atravessam quando as suas casas são obrigatoriamente governadas com menos de 400 euros. Onde a maior dor chega na hora de dizer não ao filho que pediu: “Oh mãe tens um euro?” Um euro para comprar linha para a pesca. Apenas um euro…? Não! É um euro!

 

A Comissão Europeia anunciou 2010 como o Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social e eram quatro os objectivos a cumprir: “Reconhecer o direito das pessoas em situação de pobreza e exclusão social a viver com dignidade e a participar activamente na sociedade.

Reforçar a adesão do público às políticas e acções de inclusão social, sublinhando a responsabilidade de cada um na resolução do problema da pobreza e da marginalização.

Assegurar uma maior coesão da sociedade, onde haja a certeza de que todos beneficiam com a erradicação da pobreza. Mobilizar todos os intervenientes, já que, para haver progressos tangíveis, é necessário um esforço continuado a todos os níveis de governação.”

 

Será curioso analisar que o limiar de pobreza na União Europeia varia de país para país. Na Hungria e na Polónia as pessoas em risco de pobreza vivem com menos de 200 euros, enquanto que na Dinamarca ou na Irlanda este limite ascende aos 900 euros.

 

Segundo um relatório ainda recente, que data de 2006, 16 por cento dos cidadãos da União Europeia viviam abaixo do limiar da pobreza, definido como 60 por cento do rendimento médio do seu país.

 

Ainda no que respeita a números e falando de pobreza, mas em Portugal a situação é não só  preocupante, como se poderá estar a tornar alarmante. Cerca de 20% dos portugueses vivem ou estão em risco de viver em situação de pobreza (com menos de 360 euros mensais). Entre os grupos de risco mais com mais probabilidades de caírem em situação de pobreza, estão os idosos e as famílias numerosas. Por trás desta ameaça estão factores como o desemprego, salários de miséria e pensões ainda mais miseráveis.

 

De entre os 27 países da União Europeia, Portugal é um dos nove mais pobres, existindo 1,9 milhões de pessoas que vivem abaixo do limiar da pobreza, na sua maioria no Norte. Por outro lado, o número de portugueses que beneficia do Rendimento Social de Inserção tem vindo a aumentar nos últimos anos e Portugal apresenta o maior índice de desigualdade entre ricos e pobres.

 

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados