SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 15 Junho 2021, 17:50

Alan e Madjer já se estrearam no CDTN

 

Alan e Madjer, a dupla da Selecção de futebol de praia trocou os areais e os pés descalços pelas chuteiras, meias e caneleiras, até ao final do Campeonato Distrital da Primeira Divisão da Associação de Futebol de Santarém e estrearam-se há duas semanas a jogar no Clube Desportivo de Torres Novas.

 

Madjer de 33 anos de idade, fez formação no Estoril e jogou meia época nos seniores do Montijo. Alan, de 35 anos, jogava no Vitória do Recife, do Brasil, quando foi convidado para o Mundialito de Portugal. Apesar do sotaque brasileiro acentuado, já está no nosso país há doze anos.

Esta passagem pelo relvado do CDTN não é portanto uma estreia, mas também não é de todo uma despedida dos areais.

 

Um dos objectivos é ajudar a equipa a subir de escalão, ao mesmo tempo que, existem outros projectos que esta dupla pretende desenvolver em Torres Novas. Madjer e Alan pretendem aqui criar uma escola de formação para jovens dos 5 aos 14 anos, na próxima época. “A nossa vinda para o Torres Novas deve-se a um convite de um amigo, onde é nosso objectivo ajudar o Torres Novas a subir e criar a nossa academia de futebol, para começar a dar formação na próxima época.” Adiantou Alan. “A adaptação ao relvado e ao Futebol 11 foi afinal um voltar ao passado, uma vez que eu há treze anos atrás, eu jogava no Profissional no Brasil.” Acrescentou ainda.

 

Acerca do projecto Madjer acrescentou ainda, “é um projecto que temos estado a alargar a outros pontos do país e o presidente do Torres Novas abriu-nos também aqui a porta para andarmos para a frente com esta escola e assim juntamos o útil ao agradável. Jogamos, mantermos a forma para estarmos prontos para os compromissos ao nível da selecção da praia como avançamos com o  projecto aqui.” Disse o jogador salientando a certeza do regresso da dupla ao futebol de praia. “Eu costumo dizer que o areal é a nossa praia e jamais vamos abdicar dela e daquilo que ela nos deu”, acrescenta Madjer entre risos, ele que já foi considerado o melhor jogador do Mundo por três vezes.

 

Acerca deste título, o jogador Madjer mantém a humildade e o sentido de responsabilidade. “É um orgulho grande, mas é também um orgulho de todos , porque estes troféus não são só meus, mas são também dos meus colegas, porque se trata de um desporto colectivo. E quando assim é, acaba por ser partilhado por todos.” Afirma o jogador com simplicidade. “Apesar disso, continuo a trabalhar da mesma forma e continuo a ser a mesma pessoa e a integrar projectos que as pessoas poderiam pensar que não integraria.” Concluiu.

 

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados