SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 19 Junho 2021, 15:53

Cem formandos do Centro de Novas Oportunidades do Nersant receberam o diploma

 

Na segunda-feira, dia 28, cerca de cem formandos do Centro de Novas Oportunidades receberam uma “prenda” de Natal diferente. 78 formandos concluíram a sua formação de ensino básico (9º ano) e 22 a sua formação de nível secundário (12º ano).

 

Na ocasião o Presidente da Nersant, José Eduardo Carvalho, endereçou em primeiro lugar os parabéns à nova Governadora Civil, Sónia Sanfona, por ter sido nomeada para o cargo. Aproveitou para lançar o desafio para que seja retomada a Comissão de Acompanhamento da Crise, que de momento se encontra parada, e que «tão bem sucedida foi no passado», explicou José Eduardo Carvalho, pois graças a essa comissão evitou-se a falência de duas grandes empresas do distrito. Depois voltando a atenção para a cerimónia do dia, disse que a missão da Nersant não se resume a lançar projectos ou a dinamizar empresas, e que sempre se procurou colaborar com iniciativas de responsabilidade social como era aquela. O processo de certificação de competências «é muito importante», assegurou o responsável da Nersant, ao mesmo tempo que se mostrou satisfeito por verificar que por todo o país há cerca de um milhão de portugueses que estão a procurar certificar os seus conhecimentos. Em seguida José Eduardo Carvalho enalteceu o «espírito de sacrifício» daqueles que se dispuseram a realizar o processo de qualificação, anunciando que até ao momento já 203 concluíram o seu processo, esperando que até Junho se consiga atingir a meta a que se propuseram, de qualificar 410 pessoas, e rematou a esse propósito, «E estou convencido que de vamos conseguir».

 

Dois testemunhos

 

Catarina Ferreira e Vítor Inácio foram convidados a dar o seu testemunho no âmbito da sua formação do programa “Novas Oportunidades”. Cada um com uma história diferente, mas com um propósito comum, adquirir mais conhecimentos e mais competências, ao mesmo tempo que realizavam o sonho de poder concluir a formação que ambicionavam. No caso de Catarina o ensino Básico, enquanto que Vítor estava feliz por ter concluído os estudos para o ensino secundário. Os dois testemunhos deram conta que se não fosse este programa ter-lhes-ia sido impossível concluir os seus estudos. Agora ambos mostraram vontade continuar a aprender e esperam que mais conterrâneos seus possam agarrar esta oportunidade.

 

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados