SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 12 Junho 2021, 18:30

1º Encontro de “Duobol ades” no Palácio dos Desportos

principal_grd

 

Na data em que se celebra em todo o mundo o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência – 3 de Dezembro – realizou-se no Palácio dos Desportos, em Torres Novas, o 1º Encontro Desportivo de “Duobol ades”.  Participaram nesta manhã preenchida com diversas actividades de carácter desportivo, cerca de 60 participantes, tendo esta iniciativa partido da ADES – Associação de Desporto Especial de Santarém, numa organização conjunta com a APPACDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental, a Unicrisano – União dos Centros de Recuperação Infantil do Distrito de Santarém e Outros, e o CRIT, Centro de Reabilitação e Integração Torrejano,  e contou ainda com o apoio da Câmara Municipal de Torres Novas.

 

As actividades tiveram início de manhã com a prática de basquetebol e voleibol, estando presentes cerca de 60 participantes vindos das instituições: CRIT de Torres Novas, CIRE de Tomar, CERE do Entroncamento, NINHO de Rio Maior, CRIAL de Almeirim e da APPACDM de Santarém.

 

Perto da hora de almoço os participantes fizeram equipas para “disputar” o melhor lugar nos Jogos Tradicionais, Jogo do Corda, Corrida de Sacos, Jogo das Latas e Bolling.

 

Os objectivos desta manhã onde se viveu um verdadeiro espírito de equipa, foram a comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, a promoção da prática desportiva, e o convívio entre os participantes e os técnicos das próprias instituições que participaram ao longo de toda a manhã nas actividades desportivas. 

 

Falar de deficiência leva-nos a pensar nas barreiras arquitectónicas que ainda persistem em existir. Mas, na opinião de José Pavoeiro, presidente da direcção da Associação de Desporto Especial de Santarém, a principal barreira ainda são a mentalidade e a ignorância. “As barreiras têm sido vencidas, apesar de ainda haver muito a fazer. Os subsídios e os apoios também têm vindo a ser repensados, apesar de nós querermos sempre mais. Mas eu atrever-me-ia a falar de uma barreira que me parece ser a pior ainda nos dias de hoje, que é a mentalidade das pessoas. Em casos pontuais, mas a sociedade ainda continua a olhar a pessoa com deficiência com os olhos da discriminação. Há também ainda muita ignorância e falta de informação. Estas actividades que procuramos promover ao longo de todo o ano pretendem levar também a mensagem do quanto estes jovens conseguem realizar, mesmo dentro das suas limitações.”

Terminada a manhã desportiva havia que retemperar forças num almoço convívio, oferecido pela Unicrisano.

 

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados