SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 14 Junho 2021, 01:11

Dia Internacional do Canhoto foi assinalado a 13 de Agosto

 

Lá vai o tempo em que ser esquerdino, na linguagem do povo, ser canhoto significava uma deficiência que deveria ser contrariada e era mesmo ocasião para castigos por parte dos pais e professores que pretendiam assim contrariar esta tendência. Hoje já muito poucas pessoas tentam contrariar a tendência para usar predominantemente a mão esquerda, e alguns estudos científicos indicam que os canhotos “pensam mais rápido no desporto, na condução ou nos jogos de computador, que têm uma visão diferente do mundo ou que são mais susceptíveis a uma série de problemas de saúde”.

 

Uma vez que o mundo está pensado para os destros, o clube britânico Left-Handers lançou o Dia Internacional dos Canhotos, 13 de Agosto, numa forma de protesto contra a discriminação que sofrem os esquerdinos no mundo dos que usam essencialmente a mão direita.

 

Apesar da mudança de mentalidades que fez desaparecer os castigos escolares para obrigar as crianças a usarem a mão direita e apesar de estudos científicos afirmarem que os canhotos até pensam mais rápido quando fazem algumas actividades, na verdade a palavra canhoto não se desligou por completo de um certo sentido pejorativo. Ser canhoto, no dicionário de português, é alguém que trabalha melhor com a mão esquerda mas também que é desajeitado. Nas línguas francesa, espanhola, italiana e inglesa a palavra canhoto tem o mesmo significado pejorativo: tolo, pateta, trapalhão, sinistro, desajeitado. Destro, ao contrário, é aquele que é dotado de destreza, hábil, ágil, astuto. A excepção à regra é o grego, o único a favor da esquerda: o termo que designa a mão esquerda tem o sentido de melhor e a mesma origem da palavra aristocracia.

 

Tesouras e afias para canhotos

 

Nada disto incomoda hoje em dia os esquerdinos. Um esquerdino é simplesmente uma pessoa que usa predominantemente a mão esquerda nas suas actividades diárias e as dificuldades inicialmente encontradas são em grande parte ultrapassadas com o uso de utensílios adaptados. Exemplo disso mesmo são as tesouras e as afias pensadas para esquerdinos. Na Papelaria Gil Pais a afluência à compra de tesouras nos últimos tempos tem sido muito grande segundo nos disse Suzete Oliveira, da Gil Pais, “penso que existem actualmente muitas pessoas canhotas em Torres Novas. Temos vendido muitas tesouras. Afias também temos, mas essas não têm grande saída”.

 

“Escrevo com a direita e com a esquerda.

Mas a letra fica mais bonita com a mão esquerda”

 

Apesar de o mundo estar pensado para os destros, os canhotos adaptam-se com maior ou menor dificuldade. “Na escola, não me dava jeito escrever no quadro com a mão esquerda, por isso escrevia com a direita. Entre outras coisas, para passar a ferro é com a direita, mas para comer já é com a esquerda.” Disse Claúdia Sofia Rosa, de 34 anos, Assistente Operacional no Hospital Rainha Santa Isabel de Torres Novas. Ao escrever é frequente para um canhoto entortar a mão e escrever com o papel deitado. A Cláudia diz não ser, neste caso exemplo. “Escrevo com a direita e com a esquerda. Mas a letra fica mais bonita com a mão esquerda. Quando parti o braço esquerdo, deu-me jeito o facto de não ser completamente desajeitada com o direito. Fiz tudo o que tinha a fazer com a mão direita.”, sublinha. Uma vez que já pertence a uma geração em que já não contrariam os canhotos, “nunca fui contrariada, os meus pais nunca me disseram absolutamente nada. Porque, antigamente obrigavam as crianças a não escreverem com a mão esquerda o que era um perfeito disparate!” Afirma.

Por último Cláudia Sofia deixa um desabafo, “não gosto da palavra canhoto. Esquerdino é mais apropriado”.

 

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados