SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 14 Junho 2021, 19:37

Guias de Torres Novas preparam novo ano

As Guias de Torres Novas estão em Torres Novas há 40 anos. Tiveram a sua criação nos finais dos anos 73 e princípios dos 40 e as primeiras promessas da Companhia foram realizadas um ano depois. A saudosa Irmã Stela estará sempre ligada à sua fundação na cidade, nas palavras da chefia, “um exemplo de dedicação e compromisso”.

Atualmente as Guias de Torres Novas debatem-se com a falta de “Chefes” para a Companhia. E deixam o alerta e desafio ao mesmo tempo às jovens da cidade para que abracem este Movimento.

“O Guidismo é um movimento para jovens raparigas, que nasceu em Inglaterra no ano de 1910, dois anos após Lord Robert Baden-Powell (BP) ter formado a Associação de Escuteiros, para rapazes.

A sua origem deveu-se à iniciativa de um grupo de raparigas que, em 1909, mostrando vontade em participar nas atividades escutistas, se fardou como os rapazes e apareceu de surpresa no Rally do Palácio de Cristal de Londres, proclamando-se raparigas escuteiras.

BP, admirado com a sua presença, mas animado com a ideia, resolveu criar, com a ajuda da sua irmã Agnes, um Movimento destinado a raparigas, ao qual deu o nome de GUIAS. Para tal, inspirou-se no famoso corpo de soldados das montanhas da Índia, conhecido por aquele nome, que se distinguia pela sua coragem e capacidade de ultrapassar obstáculos e pela sua disponibilidade em ajudar os outros.

Mais tarde, foi a sua mulher, Olave Baden-Powell, que desenvolveu o espírito do Movimento Guidista e o promoveu por todo o mundo”, explicaram as Guias que estão atualmente na chefia do Movimento em Torres Novas, liderada por Ana Diegues.

O Movimento tem como principal objetivo proporcionar às raparigas e jovens mulheres “a oportunidade de desenvolverem plenamente o seu potencial como cidadãs universais responsáveis.

Neste sentido, representa nos dias de hoje um importante projeto educativo para as crianças e jovens raparigas da nossa comunidade”.

“O lema «Sempre Alerta Para Servir» é o fio condutor deste movimento que procura suscitar e desenvolver o espírito de serviço, o voluntariado, a iniciativa por causas  sociais e ambientais nas suas associadas”, explicaram.

“«Aprender fazendo» é outra das máximas deste movimento que congrega num espaço de partilha raparigas de todas as idades e com diferentes experiências e personalidades.

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados