SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 16 Junho 2021, 11:41

CUSMT diz que os cuidados de Saúde estão dificultados pelo Orçamento de 2014

Na terça-feira, dia 7, a Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo (CUSMT) realizou uma conferência de imprensa para dar conta da sua preocupação perante o desinvestimento do Governo na Saúde. Mas os recentes acontecimentos na semana de Natal envolvendo as urgências de Torres Novas e de Abrantes, com tempos de espera superiores a 12 horas, seria já «motivo suficiente» para a realização da conferência, garantiu Manuel José, o porta-voz.

Garante a CUSMT que os que os preocupa, antes de tudo o mais, é o sofrimento dos utentes e das famílias. As recentes denúncias dos tempos de espera nos serviços de urgência são um claro indicador de que há muito que fazer no Centro Hospitalar do Médio Tejo. «A Saúde no Médio Tejo está mais longe e mais cara. E com menos qualidade», avisa a Comissão.

Perguntam por isso: «As concentrações de serviços trouxeram maior qualidade?». E apresentam dados que indicam o contrário, «os reinternamentos, os casos que voltam ao Hospital, aumentaram. Em 2011 a taxa era de 7% e agora já passa os 10%, vai em 10,82%».

Preocupa a CUSMT também a perda de capacidade de formação de novos internos em Cirurgia, dizendo que embora não haja nenhuma documentação oficial, na prática a formação deixou de acontecer, o que reduz a capacidade de atracão do CHMT de novos médicos.

LML

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados