SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 15 Junho 2021, 21:23

Cursos do Cepton com empregabilidade

Quando se acaba um curso, aqueles que já passaram por isso, sabem que o que é mais frustrante é não conseguir um emprego que aproveite as suas qualificações, aquilo para que estudaram ao longo do curso. Não é o que acontece com a maioria dos alunos que frequentam os cursos do Cepton, o Centro de Estudos Politécnicos de Torres Novas. Os três cursos ali ministrados têm altas taxas de empregabilidade. São sobretudo cursos técnicos, que permitem a continuação dos estudos, e cujas habilitações são procuradas pelas empresas.

Um dos ex-alunos do Cepton, Rodrigo Domingues, fez o CET (Curso de Especialização Tecnológica) no Cepton, vindo da Escola Profissional de Torres Novas. Com equivalência ao antigo bacharelato, o CET de Redes, concluído em 2008, permitiu-lhe ingressar na licenciatura de TIC – Tecnologias de Informação e de Comunicação da Escola Politécnica em Abrantes, tendo equivalências a algumas cadeiras, o que, depois, lhe garantiu uma maior qualificação no emprego que entretanto tinha conseguido como técnico de Redes.

Falando da sua experiência de aprendizagem do Cepton, Rodrigo Domingues recorda que se sentiu preparado quando terminou o curso CET em Torres Novas, porque, diz, «as aulas eram muito práticas e nós tínhamos de saber resolver os problemas». Uma vez confrontados com problemas no dia-a-dia do trabalho, esse saber acumulado veio a provar-se muito útil, permitindo-lhe, enquanto técnico, ultrapassar as dificuldades no terreno. A formação baseia-se mais em «mexer», para depois «saber fazer» e assim consegue-se encarar melhor a parte teórica do curso.

Os seus colegas de curso, conta, estão «bem», pois arranjaram emprego passado pouco tempo de terminarem o curso, 3 ou 4 meses depois. Alguns ficaram pela região, mas a grande maioria foi para Lisboa. Os salários dos técnicos também são também um pouco mais satisfatórios, com a maioria a receber entre os 1200 e os 1500 euros. Em suma, declarou, é «uma especialização que compensa».

LML

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados