SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 16 Junho 2021, 03:16

Procissão dos Passos em Moreiras Grandes atraiu milhares de pessoas

p4-f1_grd2

No dia 1 de Abril, Domingo de Ramos, realizou-se a Procissão do Senhor dos Passos, em Moreiras Grandes. A tradicional procissão, que já é centenária, atraiu milhares de visitantes à aldeia do concelho de Torres Novas que puderam assistir a um cortejo de uma rara beleza.

A procissão do Senhor dos Passos, que deveria ocorrer de quatro em quatro anos, já que a última teve lugar há seis anos, viram quebrado esse interregno, e no último domingo retomou-se a centenária tradição.

Respeitando o costume, a procissão começou a formar-se na escadaria da capela e terão sido cerca de 70 homens os que transportaram durante o trajeto as bandeiras e borlas, o pendão, a cruz, as tochas, o pálio, as lanternas, o andor do Senhor dos Passos e andor de Nossa Senhora.

À frente do cortejo solene seguiam as crianças vestidas de anjinhos com fato roxo e asas brancas. Nas suas mãos transportavam bandejas com símbolos do martírio de Cristo, moedas, turquês, esponja, martelo, corda, cálice, espada, cruz, coroa de espinhos e escada.

Responsável por organizar todo o cortejo esteve a comissão da Capela de Moreiras Grandes. Numa curta declaração a “O Almonda” um dos responsáveis, Manuel da Silva, contou que o trabalho foi todo realizado por gente da terra e fizeram tudo «sem apoios de espécie alguma», no entanto conseguiram preparar um grande cortejo que atraiu milhares de pessoas que se mostraram maravilhadas com o que assistiram. Aqui e ali pudemos testemunhar a admiração dos trabalhos em flores que estavam a cada estação, que eram também o símbolo da dedicação e do apego das gentes de Moreiras Grandes à tradição que é sua.

“O Almonda” ficou também a saber que houve alguma dificuldade em arranjar flores para enfeitar as estações, pois por causa da seca foi difícil encontrar flores e verduras nos campos. Mas o resultado final não deixou transparecer essa dificuldade e se não soubéssemos disso nem diríamos que essa dificuldade existiu. A preparação do cortejo demorou 3 meses, informou Manuel da Silva, e envolveu o trabalho de cem pessoas.

LML

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados