SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quinta-feira, 17 Junho 2021, 03:15

Torres Novas vai aderir à empresa “Águas do Ribatejo”

 

A gestão municipalizada das águas vai deixar de o ser. Na sexta-feira, dia 18, em reunião extraordinária de Câmara foi tomada a decisão do município de Torres Novas aderir à empresa intermunicipal das “Águas do Ribatejo”.

 

Surpreendente terá sido a decisão do vereador do PSD, João Sarmento, em votar contra esta decisão, quando até a CDU, tradicionalmente mais contrária a este tipo de decisão, que envolve uma alienação do sector, votou favoravelmente a proposta do executivo PS.

 

António Rodrigues, antes de apresentar a proposta do PS, fez uma súmula de todo o processo, recordando que antes a Câmara havia tomado a decisão de avançar para a privatização do sector, recuando depois na decisão, porque o panorama também se alterou. Durante a leitura da proposta do PS o Presidente sublinhou o facto de apenas agora ter sido possível enveredar por esta opção, pois antes «não havia dispositivo legal que a permitisse», acrescentando, «Temos uma proposta concreta e defensora dos interesses do município». Em seguida, enumerando as hipóteses, refutou-as uma a uma até justificar a proposta de adesão à empresa “Águas do Ribatejo”, «Se constituíssemos uma empresa municipal teríamos os custos de manutenção, e além dos 32 milhões de euros que são necessários investir no sector teríamos de acrescentar outros 5 para criar uma estrutura só nossa, além do que a comparticipação do QREN seria muito mais baixa. Para além disso o esforço financeiro iria impossibilitar outros investimentos que já estão em curso, como é o caso dos Centros Escolares. A concessão a privados não nos parece a mais justa ou equilibrada, pois hoje há alternativas. Dizemos também “não” às “Águas do Centro” porque cremos que no futuro corre o risco de ser privatizada, já que tem uma comparticipação da empresa “Águas de Portugal”, e a sua privatização arrastaria todas as outras. A adesão à empresa “Águas do Ribatejo”, por ser uma empresa intermunicipal, que nos seus estatutos se defende contra uma eventual privatização, mantendo sob o seu controlo 51% do controlo dos municípios a ela aderente, permite-nos ter uma economia de escala e a garantia de um património gerido exclusivamente por entidades públicas».

 

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados