SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 15 Junho 2021, 16:21

Entrevista aos Candidatos – Educação

Educação

 

Que medidas propõe para uma política integrada de Educação no concelho?

 

 

 

Guilherme Pinto (BE) – A criação dos Centros Escolares é uma ideia e uma promessa que se vai repetindo de mandato em mandato. Estamos, no entanto, de acordo com a criação destes Centros. Há que aproveitar todos os fundos e fazer todo o investimento na execução destas obras. Para além disso é preciso apoiar e ver que carências existem em relação a creches e outras instalações pré-escolares e também há que garantir transporte com segurança para as crianças e jovens alunos. No fundo há que cumprir com as competências que a legislação atribui às autarquias.

 

 

 

Carlos Gomes (CDS-PP) – Estranho que, tendo sido subscrito em 2006 o projecto educativo para o concelho, no âmbito da carta das cidades educadoras, cheguemos a 2009 sem ele estar em concretizado e em funcionamento. Os centros escolares estão a ser lançados, com o consequente encerramento de pequenas escolas. No âmbito da desertificação das aldeias que já mencionei, esta centralização poderá agravar o problema. Por outro lado, preocupa-me, por exemplo, que essa centralização se faça sem a devida reestruturação de serviços como o transporte das crianças. Não se podem ir buscar os miúdos às 6 da manhã para depois os levar às 20h.

 

 

Carlos Tomé (CDU) – Ultimamente tem-se dado muito enfoque à construção dos Centros Escolares e parece que a politica da educação se resume a isto. E a Câmara não pode reduzir os problemas da educação à construção de uma infra-estrutura. Os problemas continuam a existir e vão existir cada vez mais a partir do momento em que se constrói apenas um centro escolar e se esquecem todos os outros problemas em seu redor. O problema do transporte das crianças, da alimentação, das próprias condições de ensino, que também são da responsabilidade do município. Tudo isto deve ser acautelado. Deve haver uma inter-acção mais profícua entre a Câmara e os Agentes de Ensino. Porque são os professores, os pais dos alunos, os auxiliares, que se apercebem dos problemas do dia-a-dia.

 

 

 

João Sarmento (PSD) – Tenho opinião favorável sobre a construção dos Centros Escolares porque irão ajudar, com certeza, a que os nossos jovens tenham uma melhor formação. Faço porém dois alertas. Em primeiro lugar recordo que a maior carência que existe no nosso concelho, no que respeita a instalações escolares, acontece na cidade. Questiono porque é que o Centro Escolar a ser feito em Torres Novas ainda não teve início? Interrogo-me sobre o porquê, já que é precisamente na cidade onde há mais dificuldade em colocar todas as crianças. Em segundo lugar quero manifestar o meu desagrado, e fazer uma crítica: Quando tínhamos a piscina antiga as aulas de natação eram gratuitas para todos os alunos do 1º, 2º e 3º Ciclo. Agora com o novo espaço, que até é mais digno, porque é que as crianças passaram a pagar a sua utilização? Não concordo com esta alteração que é restritiva para a prática da natação. O que o PSD propõe para a Educação passa por medidas como melhorar a qualidade na Educação aumentando as oportunidades para as crianças e jovens, fomentar actividades didácticas e pedagógicas com acções de enriquecimento de conteúdo educativo. Queremos também fazer uma gestão escolar que permita o planeamento e uma optimização da relação qualidade/custo. Pretendemos que haja cooperação com as associações de pais e que o trabalho dos professores seja dignificado. Para nós a Educação não é uma despesa. Será sempre um investimento com retorno garantido.

 

 

 

António Rodrigues (PS) – Dentro de um ano, ano e meio, Torres Novas estará dotada de Centros Escolares, em Assentis, em Pedrógão, em Riachos, na Meia Via, e em Olaia/Lamarosa. Dentro de dois anos a estes Centros Escolares se acrescentarão os de Torres Novas e de Alcorochel/Brogueira. Estes equipamentos, dotados de Biblioteca, Laboratório, Ginásio e Salas de Informática, serão autênticas escolas viradas para o futuro que, na nossa opinião, terão que interagir entre elas. Não queremos os Centros Escolares isolados por cada núcleo que representam, mas queremos vê-los a interagir uns com os outros e, muito em particular, a interagir com a cidade de Torres Novas e os equipamentos que temos na área da Cultura, no Desporto e na Educação. Estou a falar no Palácio dos Desportos, nas Piscinas, no Teatro Virgínia e na Biblioteca. Por isso, uma política integrada para a Educação passa por os Centros Escolares interagirem entre si e ao mesmo tempo articularem-se bem com a nossa cidade, realizando um verdadeiro funcionamento em rede. Não tenho dúvidas nenhumas que dentro de meia dúzia de anos os nossos alunos, os que emergirem desta política de Educação, terão qualidades e uma formação académica superior ao que é habitual.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados