SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sexta-feira, 18 Junho 2021, 21:59

Entrevista aos Candidatos – Igreja

Igreja

 

Que papel reconhece à Igreja Católica como parceiro ao nível da cultura e acção social no concelho?

 

 

Carlos Tomé (CDU) – A Câmara é uma entidade do poder local que não se deve imiscuir nos assuntos da Igreja nem a Igreja se deve imiscuir nos assuntos da Câmara Municipal. Há uma separação clara. O que me parece que tem acontecido ultimamente. Tem havido alguma mistura de funções. Tem havido inclusivamente uma presença demasiado forte da Igreja que respeita às intervenções municipais, o que penso que não é positivo.

 

 

João Sarmento (PSD) – Se as águas devem estar separadas entre a Igreja e a Câmara, por outro lado, a junção dos dois também é possível, bem-vinda e necessária, pois ambas saem a ganhar. Se a Câmara apoiar algumas situações na Igreja Católica, e esta puder ajudar a Câmara em alguns eventos, com a interligação entre as duas entidades, melhor poderá a Igreja ajudar na formação das pessoas, melhores cidadãos teremos como homens, como pessoas. Há que criar uma interligação para benefício das duas entidades.

 

 

António Rodrigues (PS) – Para mim, e por razões óbvias, a Igreja é um dos parceiros principais da vida social da cidade e do concelho. Pena é que a dinâmica que a Igreja, em particular na cidade, hoje tem não tenha ocorrido há mais anos a esta parte, e se alguém perdeu foi a Igreja. Penso que já dei provas, e quero continuar a dá-las, de que, enquanto Presidente da Câmara, terei sempre na Igreja um grande parceiro, que tem a capacidade de interagir com a vertente social, que tem tido, recentemente, a capacidade de interagir na preservação do património, e que teve a capacidade de se associar à Câmara para resolver o problema do Centro Histórico. Uma Igreja com este comportamento, com esta liderança, só pode merecer da Câmara o apoio total e absoluto. É isso que eu quero continuar a fazer. Apoiar a Igreja de Torres Novas, da cidade e do concelho.

 

 

Guilherme Pinto (BE) – A Igreja tem na realidade um papel importante a nível social. É uma instituição reconhecida no apoio a muitas situações de carência e de exclusão social no concelho e na sequência do que dizia há pouco não pode ser ignorada como parceiro do município. No entanto, a resolução das situações de carência no nosso entender é mais da competência do Estado, do governo e das autarquias, a quem cabe a responsabilidade social e política de as resolver. 

 

 

Carlos Gomes (CDS-PP) – Acho que deveria ter uma intervenção ainda maior.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados