SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sexta-feira, 25 Junho 2021, 13:47

Moradores da Meia Via voltam à sessão pública da Câmara

 

Os moradores da Charneca da Meia Via têm vindo a insistir junto da Câmara que querem a estrada que liga a Pintainhos arranjada. A empresa que andava a fazer a empreitada faliu e os moradores estão fartos de «comer com o pó» há mais de um ano. Na terça-feira, dia 15, foram mais uma vez à Câmara insistir perante o executivo.

 

José Gil, o Presidente de Junta da Meia Via, fez de porta-voz dos habitantes da Charneca que o acompanharam. Reclamou do estado da estrada, com pó e buracos, e alertou para os possíveis acidentes que ali podem ocorrer. Mais disse que se for preciso irá à reunião de Câmara «as vezes que forem necessárias até que o problema seja resolvido».

 

Pedro Ferreira, o vice-presidente da Câmara, que conduziu os trabalhos nesse dia, explicou que quando há uma falência de uma empresa que tenha um trabalho entre mãos há sempre dificuldades burocráticas. Entretanto a Câmara já decidiu realizar a obra por ajuste directo e prometeu que o concurso será entregue em Outubro. Um munícipe interpelou então o vice-presidente, «Outubro deste ano?» ao que Pedro Ferreira respondeu que sim. O mesmo munícipe recordou então a Câmara que o Presidente havia prometido que até Agosto passado tudo estaria resolvido, mas que isso ainda não aconteceu, e acrescentou com ironia, «Agora temos dois cemitérios. O da Meia Via e as covas da estrada da Charneca», e completou, «Somos os enjeitados da Meia Via».

 

Também da Meia Via veio uma munícipe que foi reclamar de um acidente que sofreu na estrada do Bom Amor que liga à estrada da Sapeira, de acesso à Meia Via. A falta de limpeza do terreno e um sinal de STOP mal colocado, disse, estarão na origem do acidente e que lhe causou prejuízos na ordem dos seis mil euros. Pedro Ferreira pediu o auto de ocorrência, pois a Câmara só pode tomar decisões com base em documentos oficiais.

 

Vereador Nuno Santos disse o “Adeus”

 

O Vereador Nuno Santos, que fora eleito pelo PSD e que neste momento está como independente por divergências com a comissão política, apresentou uma declaração onde diz o “Adeus” à Câmara, pois até às eleições não haverá mais reuniões públicas, tendo aproveitado o momento para se despedir. Na declaração que leu explicou que não irá ser candidato a nenhum cargo autárquico nas próximas eleições e recordou o percurso que teve na Câmara de Torres Novas. Disse acreditar que o Concelho «está melhor que há quatro anos», embora, «pudesse estar melhor». Sublinhou a ausência do Plano Municipal do Ambiente, que «foi totalmente esquecido», reclamou da falta de investimento municipal em novas Zonas Industriais, disse estar em desacordo com a política do município em relação às colectividades desportivas, e a nível das aldeias entende que «assistimos ao esquecimento de muitas». Recordou o seu desentendimento político com a concelhia do PSD e declarou, «Quero pedir aos torrejanos desculpa pela forma com o PSD actuou neste processo», fazendo votos de que no futuro o PSD «saiba assumir com idoneidade, o seu papel de principal e única alternativa de poder em Torres Novas». Terminou declarando que não irá ficar na política activa, deixando no entanto uma janela aberta para o futuro, «logo se verá», mas espera «continuar a contribuir para o desenvolvimento do nosso concelho».

 

Luís Miguel Lopes

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados