SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 14 Junho 2021, 19:04

A Transformação Digital?

Este termo não é com certeza nenhuma novidade para a maioria dos leitores, ou pelo menos para quem está mais atento ao mercado e à evolução das tendências. Esta semana gostava de deixar umas linhas sobre esta temática e tentar desmistificar um pouco o termo, porque na verdade já não é uma moda, veio para ficar. A transformação digital deve ser encarada pelas empresas como uma oportunidade para se tornarem mais competitivas, mais eficientes na análise de dados e inteligentes a relacionarem-se com o cliente. Algumas já o perceberam desde há alguns anos, outras estão a entender agora esta realidade. Basta olharmos para negócios como Uber, Amazon, Netflix, AirBnB, Spotify ou Facebook para percebermos que as vantagens podem ser muitas. Sabendo-se que o comportamento do consumidor demonstra cada vez mais tendências digitais, é fácil perceber que é imprescindível acompanhar o comportamento dos clientes ou potenciais clientes. Se conseguirmos usar a tecnologia de forma inteligente e ajustada aos objetivos do negócio, pode estar aqui a chave para dar um salto para o próximo nível. Contudo, tenho assistido por vezes no terreno, a alguma confusão na interpretação do termo, inclusive da parte de gestores e líderes de empresas. É que há uma grande diferença entre a verdadeira transformação digital e a simples digitalização do negócio! A verdadeira transformação digital não pode (deve) ser apenas um mero processo de tornar digitais os processos existentes. Deste modo as organizações podem colocar-se em risco, ficando para trás na verdadeira disrupção que outros estão a aproveitar para levar a cabo. O que trará vantagens em todo este processo é conseguir inovar, transformar realmente o próprio negócio e os seus processos, mudar a abordagem e a forma como se interage com o meio envolvente (parceiros, clientes, fornecedores, consumidores).

Como alavancar a Transformação Digital

Modelo de negócio: quem gere uma empresa, percebe que há que ajustar o modelo às necessidades do consumidor. A novidade está em ajustar o modelo de negócio beneficiando dos avanços tecnológicos e obtendo uma série de dados e estatísticas úteis para, finalmente, poder prestar uma melhor experiência ao consumidor.

Processos internos: esta transformação deve ser uma das primeiras preocupações de quem quer iniciar a digitalização do negócio. Adotar ferramentas como CRMs, ERPs, gestão de projetos, vai permitir otimizar os métodos de trabalho e a gestão de equipas. Cada vez mais permitir equipas deslocalizadas, pois a cloud, as messaging apps (WhatsApp, Skype), e afins, ajudam as empresas a fomentar uma melhor relação com os seus colaboradores estejam estes onde estiverem, potenciando por outro lado a internacionalização do negócio.

Relação com o cliente: a importância da captação de leads (um contacto que ainda não é cliente, mas tem probabilidade de o vir a ser) é crescente. Um cliente não tem de o ser para toda a vida, por isso é preciso saber mantê-lo e em alguns casos como e quando reativá-lo. A transformação digital aplicada na relação com o cliente vai permitir perceber todo o seu percurso nas várias fases, até mesmo antes de ser cliente. Afinal cada negócio é diferente, com públicos-alvo diferentes, orçamentos diferentes, objetivos diferentes.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados