SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 16 Junho 2021, 23:36

Joaquim Santana, um homem apaixonado pela cultura riachense

joaquim_santana_gdJoaquim Santana, Riachense de gema, completa a bonita idade de 80 anos no próximo mês de setembro.

A sua caminhada de vida tem sido inteiramente dedicada à cultura, tendo já merecido, a este propósito, várias menções honrosas por parte da Câmara Municipal, da Junta de Freguesia de Riachos, bem como de outros organismos.

Ao longo do seu percurso, destaque para os 56 anos como diretor do Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Riachos.

Tem ainda ligações à Festa da Benção do Gado de Riachos, desde o ano de 66 e tem já várias obras publicadas, sempre com referências a Riachos e às suas gentes.

O Almonda esteve à conversa com este Senhor que tanto contribui para a cultura riachense.

Joaquim Lopes Santana nasceu no dia 27 de setembro de 1934, na Rua do Carreiro da Fonte, hoje Rua da Fonte, no Casal dos Santanas, em Riachos. Foi o quinto filho de Feliciano Simões Santana e de Maria Lopes.

Com uma memória prodigiosa, recorda-se da sua entrada para a escola primária no dia 7 de outubro de 1941, com sete anos de idade.

“Fiz o exame da quarta classe na escola de Escola de S. Salvador, em Torres Novas, com bom aproveitamento. Depois do exame o meu tio Manuel Lopes ofereceu-me uma caneta de tinta permanente da marca Parker. Lembro-me bem. A família queria que prosseguisse os estudos, mas eu sempre disse que não”, recorda.

Trocou os estudos pelo campo, onde começou a trabalhar com doze anos de idade.

“Era outono, do ano 1946, nos campos do espargal durante as sementeiras do trigo, da aveia e das favas, comecei a trabalhar já com doze anos feitos, como moço, à frente de uma junta de bois, que o meu pai tinha comprado na feira de Cantanhede. Andava sempre no campo acompanhado pelos meus irmãos mais velhos e assim aprendi os serviços campesinos. Ajudava-os com os trabalhos mais leves, como a fazer velgas para se espalhar a semente por cima da terra já lavrada”, conta Joaquim Santana.

Seguindo as passadas do seu pai que foi Cingeleiro e também boieiro. Aos 18 anos de idade, já tocava uma junta de bois. Também aos 18 anos entrou para a Juventude Agrária Católica de Riachos, “juntamente com um grupo de rapazes da minha idade. Tinha então por dirigente o senhor Fernando Cunha, na altura, membro da Direção Regional”, explicou.

Na área desportiva, nos anos de 51 e 52 fez parte da Equipa de Juniores do Clube Atlético Riachense, na modalidade de Ping-Pong, como atleta federado, tendo mesmo participado em Campeonatos Distritais de Santarém.

Aos vinte e um anos fez pela primeira parte da direção do Clube Atlético Riachense.

Recordando o início do Rancho Folclórico “Os Camponeses”, Joaquim Santana conta como tudo começou a partir de uma brincadeira de Carnaval.

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados