SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 16 Junho 2021, 02:13

A Homenagem da Revista “Stadium” ao Torrejano Carlos Torres (4)

Após a saída de Carlos Torres do Sport Lisboa e Benfica, o jogador torrejano ainda militaria duas épocas, na cidade alfacinha, com a camisola do Operário Futebol Clube. Uma formação da Segunda Divisão da Associação de Futebol Lisboeta.

Esta nova aventura revelou-se passageira. Em 1939 regressava a Torres Novas, impelido pela infinita saudade do seu torrão natal. Nessa altura “o seu clube de origem [o Torres Novas Futebol Clube] já havia desaparecido, vítima do esquecimento de muitos e da ingratidão de tantos…” (“Stadium”, Ano X, nº 516, 16 de Março de 1942, Bertrand e Irmãos Lda., Lisboa, pág. 12).

No ano de 1942, a revista “Stadium”, na sua rubrica “ Ases da Província”, arrancava ao olvido a velha glória do desporto-rei, realçando a sua marcante grandeza futebolística: “ No futebol ribatejano, Carlos Torres foi, há uns dez anos um virtuose. Alto e esguio, a sua figura agigantava-se no campo, onde a sua presença era temida e respeitada… um valor que se consagrou e foi disputado como jóia cara…” (op. cit., pág. 12).

A mesma crónica da Revista “Stadium” (1942), assinada por “Jack”, tem o privilégio de apresentar-nos, com enorme detalhe, as diversas etapas do percurso de Carlos Torres, enquanto jogador, que passamos a transcrever:

“Avançado-centro do Torres Novas Futebol Clube – o seu clube de origem- [Carlos Torres] representou algumas vezes a A. F. S. [Associação de Futebol de Santarém] colhendo da crítica unânimes elogios.

Chegou a ser popular em todo o distrito de Santarém. «Os Leões», da capital ribatejana, tentaram-no com promessas várias, até que um dia conseguiram o seu objectivo – Carlos Torres alinhou nos “Leões” de Santarém”.

Voltou a Torres Novas e treinou os “Onze Unidos” do Entroncamento. Depois foi Lisboa que o seduziu … E ei-lo no Sport Lisboa e Benfica onde a sua acção chegou a ser bem notável (…) ”.

“ As saudades levaram-no, mais uma vez até Torres Novas (…). «Os Leões” de Santarém chamaram-no. Lá esteve duas épocas, orientando com a sua velha experiência os mais novos. Algo de proveitoso fez: – «Os Leões» conquistaram um título de campeão [?].

Nova época – um novo clube. Carlos Torres passou a alinhar no União de Tomar – uma delegação de «Os Belenenses» – e foi nomeado capitão do «team» de honra. Da sua velha experiência e do seu saber aproveitarão os novos jogadores do União [estávamos no ano de 1942]. Na inauguração da sua nova sede, o União enfrentou, para o campeonato nacional da II Divisão, «Os Leões» de Santarém, e brindou-os com um concludente 6-0” (op. cit. pág. 12).

Mas a grandeza de Carlos Torres não se restringiu apenas aos seus dotes futebolísticos. O ilustre jogador torrejano era também um homem de enorme carácter, respeitado e admirado por todos.

Esta dupla faceta do «Marreta» (alcunha de Carlos Torres) não seria esquecida pela revista “Stadium”. Na parte final do texto, o cronista salienta que: “ (…) se Carlos Torres prendia o espectador com o seu malabarismo, sabia também conquistar a estima dos seus companheiros de luta e dos próprios adversários, pela correcção com que actuava!” (“Stadium”, Ano X, nº 516, 16 de Março de 1942, Bertrand e Irmãos Lda., Lisboa, pág. 12).

Carlos Torres ainda passearia a sua apurada técnica pelos relvados do futebol durante mais alguns anos, ultrapassando o vaticínio feito pelo cronista da revista “Stadium”, que lhe dava “ mais duas épocas, antes da sua retirada dos campos de futebol” (op. cit., pág.12). Três anos depois, o ilustre jogador torrejano estaria ligado à fundação de um novo clube de futebol: O Clube Desportivo de Torres Novas (fundado em 1 de Janeiro de 1945).

O novo apelo, feito pela terra natal, levou Carlos Torres a deixar para trás o seu então vínculo ao clube do Atlético Alcanenense, para assumir no recém-criado clube torrejano as funções de jogador- treinador.

Logo no primeiro jogo do Clube Desportivo de Torres Novas, realizado a 29 de Abril de 1945, Carlos Torres marcaria presença no arranque desportivo da nova formação torrejana. Que proporcionou, ao longo das décadas anteriores, muitos festejos e alegrias à população de Torres Novas e do concelho.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados