SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 16 Junho 2021, 01:33

Quem defendia Pol Pot?

A idade avança e afigura-se apropriado olhar pelo retrovisor da história e aquilatar disparates de alguns “media”. Antes, era “lavagem do cérebro”. Agora, são “fake news”. Estivemos no Sudeste Asiático e resolvemos visitar o Camboja, país associado aos “killing fields” (campos de matança) do Khmer Vermelho. Queríamos admirar Angkor e os templos budistas, mas sobretudo entender como, quase no fim do século XX, ainda houve quem desculpasse um genocídio análogo aos perpetrados pelos regimes nacional-socialista de Hitler e comunista de Estaline. Os “feitos” de Pol Pot não ficam atrás dos horrores hitlerianos e estalinistas. Fomos ver provas dos crimes executados por este algoz e justificados pelos “jornalistas” da época. Com astúcias abracadabrantes, escondiam a política de genocídio do Khmer Vermelho que, para alguns, se impunha para libertar o país da burguesia que o explorava. O parlapié “politicamente correcto” do costume.

Os paladins do Khmer Vermelho tinham estudado em Paris, afiliaram-se no PCF e defendiam a criação de uma sociedade camponesa. Em 1975, tomaram Phnom Penh e, em nome de uma reestruturação radical, iniciaram o morticínio de possíveis resistentes. Assim, Pol Pot fez assassinar médicos, advogados, professores e outras pessoas com educação ou que usassem óculos – sim óculos! – e também as que falassem francês, a língua do ex-colonizador. Também exterminaram monges budistas, minorias étnicas e quem quer que se lhes opusesse. Nos cinco anos de governo Khmer Vermelho, dois milhões de cambojanos – um quarto da população – foram liquidados. Ninguém desconhece campos nazis (ex. Auschwitz), alguns leitores ouviram falar dos gulags estalinistas, mas quantos portugueses leram nos jornais referências a este genocídio? Tuol Sleng merece uma visita.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados