SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 20 Junho 2021, 09:52

Ao jeito dos “Meninos da Escola”

Os ex-alunos dos Professores Silva Pais e Oliveira guardam as fotografias das respectivas turmas com o mesmo carinho que dedicam a outras que conservam preciosamente no velho álbum familiar. Saudades da mocidade longínqua e pré-aviso de que a areia não pára na ampulheta do tempo. O relógio é o motor das memórias e, por isso, a “malta” está sempre a substituir-lhe as baterias ou, nos modelos de bricabraque, vão-lhe dando corda.

O envelhecimento é um fenómeno natural. E, por ser imperioso, estes “meninos” aprenderam que o melhor era embarcar no sistema com decoro, satisfação e boa saúde. Tanto do corpo como do espírito. Como escreveu uma psicóloga no “Diário de Notícias”, “envelhecer é desdramatizar o quotidiano, porque ele não é assim tão dramático se o olharmos com a coragem de quem já fez uma grande caminhada e ainda tem outras para percorrer”.

Há os que começam a ter o rosto sulcado pela charrua dos aniversários, como se antes não tivessem exposto montanhas e vales no mapa da vida. De qualquer maneira, os iniciados nestas andanças crêem que a idade jamais extinguirá dos olhos destes homens os sorrisos travessos da época em que partilhavam carteiras e pátios de recreio.

Estas reuniões ajudam os participantes a reconstruirem o mundo da infância, recuperar um pouco da criancice cujo encanto, cuja fascinação escorreu entre os dedos. A nostalgia da idade em que as debilidades humanas são vistas sem azedume e o contacto com a mesquinhez e a morte todavia não tinha ainda criado crostas de cepticismo.

Como numa peleja, nem sempre se ganha e temos outras perdas a registar. Agora foi o António Gameiro Costa que faleceu na véspera do Dia de Reis. Lembramos que esteve emigrado em Montreal, tendo regressado a Torres Novas há uns bons anos e que participou nalguns dos nossos encontros. Era da equipa dos Silva Paivas. De menor importância, também será de assinalar o desaparecimento de uma referência de milhares de conterrâneos: a palmeira da Praça 5 de Outubro. Dois vazios impossíveis de preencher: a amizade do Tó e a magnificência da árvore que viu crescer a nossa geração.

Com efeito, voltamos a um abrigo a que já recorremos em diferentes fases da vida. É frequente ouvir dizer que no passado se vivia mais feliz. Não deve ser bem assim, mas perguntamos: qual seria o segredo dessa felicidade? Era a imaginação. Nisso estamos todos de acordo. Vivíamos de sonhos e quimeras. Hoje, pelo contrário, tudo acontece visualmente, crianças e adolescentes não têm que imaginar quase nada.

Nas suas divagações oníricas, muitos destes companheiros nunca anteciparam algumas das alegrias que a história lhes trouxe. Nem sonharam com tal, porém as cartas que lhes saíram no baralho foram melhores do que esperavam.

Há quem goste da política e há quem goste de criticar pessoas célebres. Também há quem se dedique ao estudo de algo que lhe interesse. Existem os admiradores da boa cozinha e os apreciadores de vinho. Nós estimamos a amizade e a camaradagem. Procuramos os amigos para lhes dar um abraço, para reviver os bons velhos tempos da escola primária.

Para reavivar memórias, alguns ex-pupilos dos professores Silva Paiva e Oliveira planearam marcar a reunião de 2014. Por uma série de motivos, decidiram não esperar pela primavera. Embora uma fracção destes convívios se tenha efectuado com a chegada das andorinhas e dos andorinhões (abril, maio, junho), outras edições realizaram-se nos meses de novembro e dezembro. Aliás, o primeiro encontro teve lugar no início da década de 1990, em pleno inverno.

Para ajudar a ultrapassar os blues de fevereiro, ficou assente que irão reunir-se no próximo dia 22 (cai a um sábado).

Como de costume, o encontro será na Praça 5 de Outubro, para as saudações e fotos da praxe, até as 12h30. Divulgar-se-á então o nome do restaurante onde decorrerá o almoço-convívio. A presença deve ser confirmada por telefone ou correio electrónico. A organização está a cargo dos seguintes colegas: João Farinha Cordeiro -966025666 – 249826102 – op192981@mail.telepac.pt // José Augusto Mourão – 967624854 – 249826214 –  joseammourao@gmail.com  // José Augusto Pedro -966207207 -249824410 –  joaupesilva@hotmail.com  // Luís Ribeiro – 968638475 – 249823532 –   lvribeiro@gmail.com

O caruncho é inevitável, mas a confraternização reduz o desgaste. E os “meninos” sabem que a amizade é mais do que um direito, é um dever! Se estivessem num filme de Hollywood, estes torrejanos de talento já teriam conquistado um Óscar.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados