SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 15 Junho 2021, 19:33

Uma réstia de luz

Com o aproximar do Natal e a crise instalada na casa de muitas pessoas ainda se vê um brilho em cada cidade, em cada aldeia, em cada lugarejo. Existe também solidariedade quer nos meios de comunicação, quer a nível pessoal e social. Muitas instituições organizam campanhas de recolha de roupa, brinquedos e alimentos em prol dos mais necessitados. Nas grandes metrópoles sente-se mais a crueldade da realidade. Nas ruas encontram-se sem-abrigos, enrolados em camas feitas de caixotes e plásticos. Alguns tiveram tudo e agora escondem os rostos na escuridão das vielas cinzentas. Outros tantos preferem a rua como o seu habitat natural. Habituaram-se a confraternizar, a lutar, a amar entre as arcadas dos monumentos, mendigando nas escadas das igrejas.

Por cá, também existem casos de pobreza. Pessoas que viram seus empregos assassinados pela mão dos chefes arrogantes que só pensaram no seu próprio umbigo. O desemprego cresce diariamente. Os jovens ficam em casa ou andam por aí.

Temos boas instituições na cidade que ajudam, que trabalham com os mais necessitados, que os educam como gerir as suas finanças. Procuram estar em todas as situações com profissionalismo, valentia e esperança que as pessoas correspondem com força de vontade. Por vezes, alguns desses que choram baba e ranho nos transportes públicos, parecendo o muro das lamentações, são aqueles que tomam o pequeno-almoço nos cafés; que estão esparramados nas esplanadas com a sua cervejinha e o seu cigarro. Dias e dias, horas e minutos.

E quem limpa esses rostos chorosos, também pensa e pergunta-se: Haverá mesmo crise?

Talvez haja mesmo a pobreza de espírito e muitos vivem na aparência.

Podem achar caro comprar certos bens alimentares, mas andam sempre na alta moda. O estômago dá horas, mas o riso pintado sobressai.

Mas é Natal, vamos ver o brilho da cidade, comprar uma camisola, um pacote de massa, um livro ou apenas uma flor. Compremos no comércio tradicional de Torres Novas, tem de tudo a todos os preços e leva ainda a simpatia e atenção do comerciante.

Desejo Boas Festas aos leitores deste jornal

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados