SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 12 Junho 2021, 15:53

Aplausos e ovos podres

 

Participar numa festa é quase como passar umas férias num parque de campismo. Como todos sabem esta primeira semana de Julho as Festas do Almonda voltaram a estar ao rubro, ou nem por isso.

 

Ora vejamos: este ano o programa de animação continuou no caminho de trazer o mundo a Torres Novas. E claro que é sempre bom ver artistas de vários países a brilhar em palco dando a conhecer a cultura do seu país. Sou teimosa e insisto, porque ouvi muitas pessoas dizerem que quem organiza estas festas, “esquece-se” de que o povo também gosta dum cantor português popular. Eu própria o digo e pergunto: Será que dentro de 10 dias de festa, não será possível dedicar um dia à música popular portuguesa? Penso que isto depende da boa vontade dos organizadores. Tem de haver eventos para todos os gostos e não só para alguns.     

 

Como exemplo num parque de campismo a animação é global e todos saem das suas tendas e vão divertir-se. Ah e por falar em tendas, neste caso refiro-me aos stands desta festa. Uma fila apenas com doçaria, licores, artesanato e associações que divulgam as suas actividades e não só ao cidadão que as visita. O que foi degradante no meu entender e no entender de mais pessoas foi a “ porta” para fechar alguns stands. Uma estrutura pesada, que muita gente suou as estopinhas ao tentar desenganchar os ganchos, empoleirados, em cima de cadeiras. Todos os dias era esta luta para abrir e fechar as tais estruturas. Todos os dias entrava lixo por debaixo da dita estrutura e qualquer meliante nocturno podia entrar lá dentro com facilidade. E por falar em meliantes, quase todas as noites haviam distúrbios. Alguns stands apareceram com as paredes laterais pontapeadas, tendo causado danos materiais para alguns feirantes. Pudera, com a malta nos copos e a adrenalina no cérebro para destruírem as coisas e somente com 2 seguranças no recinto era de prever tal situação. Porque será que a organização não contratou agentes policiais durante as festas?

 

Um stand que achei pobre foi o da nossa autarquia. Com tanto artesão cá do burgo e não só, será que não há ninguém que crie um mini castelo, umas grutas de Lapas, um Rio Almonda para que o tamanho do stand não se resuma apenas a uma mesa no meio e fotografias a tapar as paredes? Digo isto porque basta ir visitar a loja de artesanato para ver a quantidade de produtos alusivos á nossa terra.

 

Também fiquei admirada ao ver com poucos artesãos. Será que nem todos serão filhos do mesmo Deus? Para o ano seria bom que abrissem um concurso para trazerem artesãos de todo o país e não só, dando mais vida àquela zona.

 

Nos espectáculos musicais, destaco a simpática Lura, uma cantora de Cabo Verde que com a sua simpatia e humildade conquistou o público assistente. Também os ciganos da Roménia encantaram a gente jovem pelo seu ritmo e alegria. O Workshop de dança cigana foi do melhor. Mais iniciativas destas serão bem vindas.  Também o teatro ao fim da tarde e o festival de ranchos folclóricos.

 

Aplausos finais com o fogo de artifício a iluminar o céu e dois amigos a comentar:“- olha os euros a queimarem!”, O outro responde: “- Ainda dizem que há crise, ah mas é tão lindo! “

 

Os meus aplausos vão para as crianças que passavam por mim com a carinha cheia de açúcar do algodão doce e que me faziam lembrar a minha meninice; para todos os vendedores que mostraram e venderam o fruto de dias de labuta; para os voluntários que ajudaram nas associações ali existentes.

 

Os ovos podres vão para a malandragem que destrói violentamente o que os outros constroem; para quem só pensa no seu ego e nos gostos dos seus amigos;

 

Alguns se lerem este artigo se calhar até terão vontade de me atirar um cabaz de ovos podres, mas não importa. Se receber um simples aplauso é o que me basta. Porque prezo pela sinceridade e pela liberdade de expressão.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados