SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 22 Junho 2021, 08:46

Vivam as eleições

 

Caros amigos leitores faltam poucas semanas para as eleições legislativas.  Não venho em nome de ninguém, sou apenas mais uma cidadã atenta ou desatenta, quem sabe. Por vezes dá para fechar os olhos, outras há que trazê-los bem arregalados para não levarmos uma traulitada qualquer. Mas na minha perspectiva as eleições deviam ser todos os anos. Pensando bem, com o dinheiro que se gasta nas campanhas, já teríamos colocado uma bandeirinha a pedir solidariedade internacional, nos nossos telhados. Mas de fora a ajuda não seria muita, porque anda tudo em crise.

           

Felizmente vivemos (ainda) numa cidade pacata. Numa terra que tem edifícios novos, e, outros coitadinhos no coração da cidade estão à espera de ruírem. Até já vi alguns turistas a registarem esses esqueletos de pedra e cimento nas suas máquinas fotográficas. Nem tudo está mau e há obras que se vão iniciando, como é o velho Almonda Parque, inicialmente um campo de futebol, agora prepara-se para receber um parqueamento novo. Sim senhor faz falta.

           

Neste sábado foi a inauguração dos espaços em volta do castelo, que eu não pude assistir, mas alguns dias atrás andei a passear na zona circundante e dei de caras com o lago seco e cheio de lixo. Espero que para a inauguração não se tenham esquecido de tratar da saúde do lago. E por falar em saúde. É um assunto complicado, eu sei. Mas falo na mesma. Fiquei sem médica de família e há um vazio enorme naquele bloco, enquanto dantes havia alegria, apesar das dores de cada um.

           

No bloco do recurso é o caos total. Não há médicos suficientes e os utentes quase que têm de acampar à espera duma vaga. Parecem sardinhas enlatadas naquele cubículo. Desde crianças, idosos, pessoas com problemas respiratórios têm de permanecer ali durante um dia inteiro para obterem uma senha? Que no meu entender é um sistema que está mal organizado. Pergunto: tantas pessoas juntas a respirar o mesmo ar, é um caso de saúde pública ou não? É assim que se prevê o contágio da Gripe A e não só? Alguém que me responda por favor. Apesar de falar nestes coisas quero dar o meu apreço sincero ás enfermeiras, médicos de recurso e pessoal auxiliar, que sempre me trataram com respeito e compreensão.

           

Para terminar, finalmente ao fim de tantos anos e após várias queixas as máquinas vieram até ao Bairro da Cabrita para arranjarem os esgotos. Só que ainda se sente um cheiro nauseabundo sempre que faz vento. Abrimos uma torneira e temos de tapar logo o nariz. Um outro facto a lamentar é que um Sr. condutor ao fazer uma manobra com uma máquina de grande volume derrubou uma parede lateral da paragem do TUT. Os vidros ficaram no chão e os apoios para o vidro são um perigo, porque algumas pessoas já se magoaram ali. E já agora, por falar em TUT, quando é que arranjam a estrada que liga o Alto da Senhora da Vitória até à Fábrica do Álcool nas Lapas? Informei-me e disseram-me que haviam uns tantos projectos e aquele estava em 2.º lugar. Mas falando a sério, aquela estrada está uma miséria. Cada vez que lá passamos, parece que vamos na montanha russa. Se calhar é por isso que alguns motoristas andam stressados quando fazem a Linha Vermelha e por mais que o passageiro seja simpático e diga até amanhã, obrigado ou bom dia não se houve nem um som. Deve ser da estrada, só pode ser, não acham?

           

E mesmo para concluir peço encarecidamente a alguém responsável pelos horários dos TUTS para colocar uma placa com os horários acertados na paragem no Torreshoping pois aquela que lá se encontra está totalmente desactualizada.

           

Até outro dia amigos!

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados