SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quinta-feira, 17 Junho 2021, 22:09

A perfeição é uma ilusão

Há uns anos uma amiga disse-me que a irmã estava grávida, mas o médico informou-a que a criança poderia nascer com trissomia 21, por isso iria abortar. Fiquei indignada com a sua decisão. Após vários exames descobriram que o bebé não tinha nenhum problema. O aborto já não se fez. No entanto refleti na questão delicada e não consigo compreender qual a razão que leva uma mãe a tirar a vida a um inocente só porque ele não vai nascer perfeito? Será que tudo o que nasce imperfeito se joga no lixo? Um dia um pai perguntou no local onde eu trabalhava quanto é que era o estrago que o filho fez. Ora o estrago era o que ele comia ao longo do ano. O seu filho era paraplégico e era assim tratado, com desprendimento, como se fosse uma coisa sem importância. E quando existe numa turma crianças de outras etnias e são excluídos das festas de aniversário dos outros meninos e meninas cujos pais se julgam superiores? Não os convidam porque andam sujos, os pais roubam ou estão presos. Porque será que a criança terá de pagar cruelmente pelos erros dos adultos? Atualmente entregam diplomas aos melhores alunos. Muito bem. Estudaram para isso. Os pais vão para as redes sociais partilhar o mérito dos filhos clamando que são excelentes, trabalhadores, concentrados, ambiciosos. Que merecem uma viagem ao topo do mundo. E aqueles que não conseguiram subir ao pódio? Serão mais fracos? E se esses filhos tão gloriosos um dia tirarem notas negativas como é normal? Também haverá publicidade extrema? Ou fecham-nos em casa durante as férias e obrigam-nos a estudar para os esconderem da sociedade de aparência? Para onde estamos a caminhar? Para onde esta obsessão de atingir a perfeição nos está a levar? Que mundo tão pequenino é este que aplaude os génios e enxovalha os inteligentes sem dinheiro? Por favor a perfeição não existe e ainda bem. Seria uma anarquia viver num planeta perfeito. Seria um abismo. Não tentem criar robots brilhantes. Aceitem a imperfeição. Enriqueçam com ela. Se virem uma pessoa com deficiência não digam coitadinho (a), nem olhem para ele com uma pena que revolta os mais atentos. Aprendam a aceitar a diferença e não a rejeitá-la. Tudo isto é só para vos dizer que no dia 3 de dezembro celebrou-se o dia da pessoa com deficiência. E um assunto puxa outros não menos importantes.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados