SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 20 Junho 2021, 17:04

Recuo sentimental

Muitas pessoas não vêm novelas na televisão. Dizem que não conteúdos, que são irreais e não ensinam nada a ninguém. Eu vejo novelas e tiro bastantes exemplos do que acontece na realidade. Por exemplo, a novela “Amor Maior” na SIC fala de vários casos importantes como o cancro de mama, esquizofrenia e violência doméstica em que um filho bate no pai. Comecemos por este último assunto. O cenário desenrola-se numa casa onde vive um pai sozinho reformado e viúvo. Um dia o filho volta da Alemanha perturbado por ter tido um acidente e começa a implicar com o progenitor. Inicialmente pede-lhe dinheiro e mais tarde rouba-lhe a reforma todos os meses. O pai arranja-lhe um emprego e ele ambicioso e sedento de dinheiro queima-se propositadamente e pede uma indemnização na fábrica onde trabalha. A seguradora descobre que foi mentira e o patrão despede-o. O clima em casa piora e ele bate no pai. O pobre homem chora em silêncio até que os vizinhos o ajudam. Finalmente o homem apresenta queixa na polícia. O filho ingrato e mau recebe a notificação e tenta matar o pai, mas quem morre é ele. Estas imagens chocam-me. Eu sei que são ficção mas cá fora existem muitos filhos que maltratam os pais. E maltratar não é só fisicamente, mas sim verbalmente e quando podem enxotam-nos para um asilo. Sim um asilo onde os idosos estão na fila até que chegue a sua vez de partirem eternamente. Porque nessas casas de repouso, lares e afins o preço é exorbitante e as atividades para os velhinhos é quase nula. Não há uma conversa, um abraço, um passeio pelo jardim.

Quando morrem lá vem a esfomeada família da treta tentar regatear alguns bens que os pais ainda têm. No velório choram desalmadamente. Quem os conhece apetece-lhe cuspir-lhes em cima, pelo teatro que fazem. Outros tantos não choram porque se diz que chorar ou vestir-se de preto quando algum familiar morre está fora de moda. Que coisa mais aberrante. Desde quando chorar pelos nossos está fora de moda? Sabiam que ignorar o libertar de lágrimas dos nossos olhos pode criar-nos instabilidade psicológica pois estamos a reprimir sentimentos negativos?

A sociedade não demonstra o que lhe vai no pensamento. Será que está fora de moda dizer: “- Amo-te?” Ou “ – Gosto muito de ti?” Ou dar um abraço a alguém, um beijo, um carinho?

Quanto mais escondermos o que sentimos pelos outros mais duros e estúpidos ficamos.

Chore, ame e fale.

Feliz semana

Madalena Monge

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados