SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 23 Junho 2021, 16:15

Palavras com nojo

Hoje em dia é fácil encontrar pessoas através das redes sociais na Internet. Utilizo o Facebook onde criei alguns grupos e faço parte de outros. Como sabemos cada grupo tem um título: uns são dedicados ao desporto, aos signos, aos animais, aos cozinheiros, aos antigos alunos de alguma escola. Ora bem, faço parte dum grupo desses em que se reencontra antigos colegas da bata azul escura. E nesse grupo publicam-se fotografias, orações, eventos. Mas num destes dias uma publicação chamou-me a atenção: uma pessoa colocou algo a ver com tatuagens. Provavelmente queria divulgar o trabalho desse amigo tatuador. Imediatamente surgiu uma crítica em que dizia: -“ Menina tal, este tipo de publicação não é adequada a este grupo. Que nojo! “. Ponto final. Como eu muita gente ficou indignada e com razão. Mas mais revoltados foi outro comentário da mesma pessoa: -” Uma dia estava num restaurante e levantei-me porque o empregado de mesa tinha os braços cheios de tatuagens”.

Com essa afirmação duma senhora formada tive de responder e perguntei-lhe: “- Se por acaso o seu marido tivesse uma tatuagem feita durante o serviço militar a senhora também iria fugir dele? “.

Estes assuntos fazem-me reflectir de como as pessoas são racistas e gostam de descriminar os outros. Que raio de povo somos que só olhamos para aparência e não vemos e não tentamos sequer saber o interior? O porquê no caso das tatuagens? É melhor criticarmos e deixarmos a nossa língua de trapos desenrolar o fel ao olharmos o vizinho do lado. Será que é um nojo ter uma tatuagem no corpo?

Claro que há corpos totalmente tatuados e até nos pode fazer uma certa confusão, mas chamar nojo a uma tatuagem é como estar a chamar nojento ao tatuador. Pois ainda se tem a memória retrógrada em que todos os estúdios dos tatuadores são sujos, porcos e maus. Felizmente já há segurança, limpeza e produtos desinfectantes. Tenho um amigo meu que tem um estúdio em Mira de Aire de tatuagens e faz um trabalho digno de se ver. As condições de trabalho são muito boas.

O que me mete mais nojo é a falta de competência para liderar um posto, uma empresa, uma nação. Mete-me nojo pessoas que passam a vida a mendigar e a queixar-se, mas não levantam o traseiro do sofá para lutarem. Mete-me nojo a própria sujidade do mundo, aqueles que têm água e não tomam banho, andam na rua a cheirar a urina, a suor, a fezes nos transportes urbanos e aqui acontece frequentemente no TUT.

Quer se goste ou não as tatuagens são obras de arte.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados