SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quinta-feira, 17 Junho 2021, 01:01

O CD de fado – um dos meus sonhos

E vai ser mais um sábado em que a adrenalina vai subir, em que o nervoso miudinho vai chegar, em que a incerteza de como vai ser, durará até a sessão terminar. São sentimentos que todos nós conhecemos, estados de alma que a mim me fazem estar vivo, atento, alegre ou triste, interventivo e activo, desperto para o mundo, e será sempre assim até ao fim, quando se querem como eu ver concretizados alguns sonhos. Todo este arrazoado a propósito da sessão de apresentação do meu livro de versos “Improvisos da Alma” e do meu CD “Esquina da Vida” com 14 fados velhinhos a que empresto a voz, que vai ocorrer na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, este sábado 20 de outubro a partir das 16,30 horas. Desde há uns meses a esta parte tem sido uma labuta enorme, embora deva frisar que sempre feita com prazer, porque gosto de cantar, porque gosto de escrever. No CD tive que contar com a ajuda preciosíssima do amigo Carlos Nicolau, que de uma forma competente como só ele sabe, procedeu à gravação, graciosamente, sempre com boa vontade e de mãos e coração abertos para toda a gente. Não sei como lhe hei-de agradecer. Depois os músicos, o jovem Diogo Ferreira na guitarra, o Rui Girão na viola de fado, a que se juntou, também com amizade o Constantino Formigo na viola baixo. O Constantino cedeu os “estúdios”, marcaram-se dois fins de tarde e lá vai disto que se faz pressa. Quase sempre à primeira, quase sem ensaios, lá se gravaram 14 fados e com mais uma ou outra afinação, foi sempre a aviar. Depois o Carlos Nicolau trabalhou no equilíbrio voz/instrumentos, o Tiago Abreu também de uma forma generosa fez o ajuste técnico da coisa e tudo dito no que se refere à gravação. Algum tempo depois vamos encontrar a editora da Capa do CD, onde os meus filhos me ajudaram de uma forma exemplar. Lá fomos a Rio Maior onde encontrámos gente muito boa que connosco colaborou como se a obra fosse sua e no final saíu a capa com o Jorge de boné à verdadeiro fadista. Um obrigado à Litosodis e ao amigo João Barra. Depois foi a masterização, nome esquisito mas que não é mais que a gravação para os próprios CDs, e isso aconteceu em Leiria, também com gente profissional e amiga na Master CD E foi tudo feito por gosto, feito pelo prazer de registar a minha voz para os amigos e para os vindouros. E o CD vai ser ouvido por todos os que me quiserem, ou puderem estar presentes e tudo tenho feito para que a festa seja bonita. Será um intercâmbio de fados e de poemas do meu livro e espero bem que gostem. Quanto ao livro de poesia, outro dos meus sonhos lindos, ficará para uma próxima crónica, pois o espaço no jornal é curto e a sua história não será tão curta como isso. Até sábado se puderem estar comigo.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados