SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 15 Junho 2021, 21:05

As bananas que Ana Rosado me dava

Ainda hoje me recordo de quase todos os dias esperar ali no peal da minha porta, em Valverde, pelo regresso das vendedeiras do mercado municipal, em especial por uma, vendedora de frutas e legumes, de seu nome Ana Rosado, que morada na Ladeira da Enfermaria Militar.

E a razão do meu interesse era só uma. A D. Ana era muita amiga de meus pais e minha também e nunca passava sem me dar uma ou duas bananas que lhe restavam da venda.

E eu claro está comia-as e ficava-lhe grato pela gulodice que me proporcionava.

A D. Ana tinha um rancho de filhos e o marido senhor Rosado foi durante largos anos funcionário, como auxiliar de despachante em Torres Novas e em Lisboa, da empresa Claras Transportes, fazendo que me lembre diariamente a viagem de Torres Novas a Lisboa e regresso, entre outros serviços.

Também era um bom homem, popular e cordato, pessoa bem vista no nosso Bairro de Valverde, tal como a esposa e filhos.

Os anos passaram e a D. Ana abriu um lugar de venda de frutas e hortaliças na Rua de Valverde e mais tarde transferiu o negócio para a Ladeira da Enfermaria Militar, onde continuava a ter as suas freguesas dedicadas, pois era uma mulher extremamente dada e trabalhadora.

Depois os filhos cresceram, eu cresci com eles e os nossos destinos foram-se desencontrando, as famílias constituídas, os netos chegando e o destino foi-nos separando cada vez mais, não que quando nos cruzamos não tenhamos quase sempre um aceno de simpatia mútuo.

D. Ana e marido, bem como meus pais faleceram e o Bairro de Valverde foi sempre ficando mais vazio e pobre, de gente de trabalho, de pessoas boas que se amavam como verdadeiros amigos.

O que ainda não morreu em mim foi a gratidão àquela senhora do povo, que sentia prazer em ver-me feliz, oferecendo-me centenas de bananas.

Para os seus filhos, netos e bisnetos a minha lembrança será sempre uma simples homenagem às suas origens simples mas extremamente honestas.

One thought on “As bananas que Ana Rosado me dava

  1. Obrigado, Sr. Jorge Pinheiro, pelo excelente artigo, como filho, o mesmo fez- me recordar e chorar, esses belos dias do Bairro de Valverde.
    Mais uma vez agradeço ao Sr. Jorge Pinheiro, e ao Jornal o Almonda, o excelente momento que me proporcionou ao ler tão belo artigo.
    Um Abraço Amigo
    Paulo Renato Rosado

Comments are closed.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados