SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 14 Junho 2021, 19:02

A Feira que aí vem e a proposta de regresso a uma leitura

A Feira ou a festa. Será sempre um tempo de reencontro da comunidade, ocasião de contacto com a cidade para centenas de forasteiros. Esta Feira, que se repete, permite cruzar o profano com o sagrado, o passado com o futuro e, assim, ser um tempo rico de vivências em que o ritual congrega e enriquece a vida de símbolos. Passados anos os mais novos lembrar-se-ão das figuras históricas, dos cortejos, dos antigos trajes, destas ruas animadas por tantas vozes. Figuras e figurões. E a feira tem sido, também, ocasião de recuperação do passado, reconstituição da memória. Este ano evocamos a notável personagem de Mestre António, físiquo, solorgiam de El-Rei e também escritor. Nascido em Torres Novas onde jaz sepultado e tem nome de rua. Justo reconhecimento. E também por justo reconhecimento e encontro com boa literatura, seria oportuno voltarmos a uma obra que a crítica louvou, as instituições premiaram e que faz deste Mestre António uma das suas personagens, “A Lenda de Martim Regos”. Pedro Canais, ele também torrejano, oferece-nos um dos romances mais notáveis destas primeiras décadas do século XXI que, tendo como espaço o mundo, em muitos momentos transporta-nos para a cidade almondina: «Minha pátria é Torres Novas) p.310. O prazer, a alegria, de viver a próxima Feira, poderá levar-nos ao prazer da leitura, neste caso, onde a narrativa constrói a beleza e a história nos aproxima de quem somos. Mestre António estará na Feira e está já, como personagem, no romance de Pedro Canais. Será interessante encontrar o físico d´El-Rei na história, na reconstituição da Feira e na leitura de “A Lenda de Martim Regos”.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados