SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 13 Junho 2021, 07:12

Detalhes da guerra do Ultramar – As graves consequências de uma independência tardia

 

A tardia independência das ex. colónias gerou graves consequências nas sociedades civis, assim como nos jovens militares envolvidos na guerra das três ex. colónias. Problemas que nunca foram entendidos por muitos refugiados e retornados Brancos. Esquecendo-se esta camada da população que o erro principal foi a teimosia do então Governo em manter as colónias. Porque se não tivesse existido o golpe de estado de 25 de Abril, o fim da guerra seria mais catastrófico. Primeiro porque os soldados em Portugal já estavam dando sinais da recusa de partirem para a guerra. Segundo, não acredito que, com a determinação e apoios que os movimentos independentistas tinham, ficassem apenas pelo mato. Acredito sim que esses movimentos num futuro próximo iniciassem a guerrilha urbana. Ou no mínimo, a colocação de engenhos explosivos em locais públicos nas cidades com o objectivo de criar o pânico, e assim expulsar os Continentais.

 

O Governo Portugueses, e as Administrações das ex. colónias, nunca se preocuparam minimamente com o bem-estar dos Nativos. Se estes viviam de tanga á 500 anos quando os Portugueses lá chegaram, e apenas de uma Agricultura de subsistência, sem cuidados de Saúde, e sem escolas. Na mesma situação foram encontrados pelos Soldados na década de 60. Eu vi!

 

Os Brancos tinham uma boa qualidade de vida. Viviam sobretudo nas vilas e cidades bem distantes da guerra. Os nossos compatriotas construíram cidades e outros bens, foi apenas para seu próprio proveito. Esquecendo sempre os Nativos legítimos donos dos territórios.

 

Para quem viveu nas ex. colónias, e não teve uma ideia sobre a guerra e suas graves consequências, e continua de cabeça dura a afirmar que a guerra quase não existiu, ou que estava quase ganha pelos Portugueses. Talvez mudem de opinião com os números a seguir divulgados.

 

A guerra do ultramar só das forças armadas Portuguesas sofreu: 10 mil mortos, 35 mil feridos, 25 mil deficientes, e 200 mil vítimas de stress de guerra. Mais o sofrimento de milhares de refugiados e retornados que tiveram que abandonar suas casas e seus bens pelo facto de serem iludidos pelo sistema politico de então durante largas décadas.

 

Calculam alguns investigadores, que continuam a investigar a guerra do Ultramar, que, entre militares Portugueses, guerrilheiros, e civis, a guerra fez cerca de 18 mil mortos. “Números provisórios”. 

 

Contudo, e como atrás referi, os nossos compatriotas refugiados e retornados, podiam ter um fim mais negro se o golpe de Estado de 25 de Abril não antecipasse a Independência.

Voltarei a escrever esporadicamente sobre África e seu Povo.  

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados