SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 19 Junho 2021, 19:31

O Portal da Amizade: O Voluntariado

 

Numa época do ano em que brevemente teremos muito jovens de férias portanto com mais tempo disponível, lembrámo-nos de falar um pouco sobre voluntariado                           

 

A palavra voluntário tem a sua origem no latim voluntarius e significa aquele que age de acordo com a sua vontade. Então, trabalho voluntário é toda a actividade que é desempenhada, autonomamente, sem receber contrapartidas em remuneração, ou qualquer outra forma de lucro. A contrapartida reside na felicidade que se sente ao dar algum conforto a pessoas que dele carecem.

E o que é ser voluntário? Recentemente procurámos saber junto de um grupo de jovens o que entendiam sobre esta questão. Surgiram palavras como: dar sem receber, partilhar, ajudar, solidariedade, altruísmo, amizade, companheirismo, compreensão… Todas estes conceitos respondem á questão colocada. Há voluntários a trabalhar com crianças, com idosos, com a comunidade em geral. Ser voluntário é querer servir os outros, a comunidade, de forma abnegada, com coragem, numa entrega total ou quase total, proporcionando bem-estar, qualidade de vida, satisfação, trabalhando para criar um mundo melhor.

 

Quem de nós não conhece alguém que é voluntário? Na Igreja, nas Instituições de Solidariedade Social (IPSS), nas associações de cariz social, desportivo, cultural… Como elementos das Direcções, como trabalhadores/colaboradores, nas mais diversas funções. A maior parte destas entidades não existiriam se não fosse o empenho, o espírito de cooperação, a voluntariedade de muitos de nós, por vezes em prejuízo do descanso pessoal e da convivência com a família e os amigos. No nosso Concelho podemos contar com os Bombeiros, a sua abnegação e coragem, a sua disponibilidade. As próprias entidades patronais que lhes permitem o “abandono” do posto de trabalho para responder ao apelo da sirene… Os Escuteiros, a Liga dos Amigos do Hospital, a ARPE, A Conferência de S. Vicente de Paulo, a Caritas, as “Fábricas da Igreja” nas várias paróquias, a Legião de Maria, todos os colaboradores, nas mais diversas instituições que, no dia-a-dia, cumprem desinteressadamente com a missão que se propuseram. Têm, como única recompensa, proporcionar alguma felicidade aos outros e colaborar para o desenvolvimento social e cultural da nossa sociedade. A todos estes e aos que, por lapso, não referi, aos que anonimamente praticam trabalho voluntário não informal, o nosso Bem Hajam e votos para que continuem sempre, sentindo-se recompensados, por vezes, apenas com um sorriso no rosto do outro. Para mim a melhor definição que encontro para voluntário é a que nos diz que “Ser voluntário é ser útil deliberadamente sem esperar recompensas. Ser voluntário é por vezes uma bênção do céu para quem beneficia desse voluntariado”.

 

Mas o voluntariado pode e deve ser formalizado. Existe uma lei que define as regras do voluntariado (Lei nº 71/98 de 3 de Novembro). Segundo esta lei voluntariado “é o conjunto de acções de interesse social e comunitário, realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projectos, programas e outras formas de intervenção ao serviço dos indivíduos, das famílias e da comunidade, desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas”.

 

Segundo esta Lei o Voluntariado deve ser encarado, com seriedade, como sendo um compromisso assumido, só se devendo faltar com aviso atempado. O voluntário tem direitos, deveres, e um cartão de identificação passado pelo Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado (CNPV). No Concelho de Torres Novas existe um Banco Local de Voluntariado, sediado no Gabinete de Acção Social da Câmara Municipal que recebe estas inscrições. Faz a articulação com o CNPV para a atribuição do cartão. É importante que todas as pessoas que exercem funções de voluntariado ou estejam interessadas em começar a exercer, formalizem a sua inscrição neste serviço, não só para terem direito a este cartão, mas também, pelo menos, para “constarem das estatísticas”. Não me levem a mal a última justificação que invoco mas creio que Torres Novas é um dos Concelhos que mais voluntários tem e não existe uma concentração destes registos. Se o Conselho Nacional perguntar à nossa autarquia quantos voluntários existem no concelho, a reposta não revelará a realidade. O Banco Local de Voluntariado tem cerca de 70 inscrições para trabalho voluntário e pouquíssimas de instituições que requisitem voluntários. Este facto pode sugerir-nos, talvez, que os nossos voluntários vão directamente inscrever-se nos sítios onde querem prestar apoio e não passam sequer pelo Banco Local. É só mais uma voltinha, não custa nada.

 

Existe ainda o Banco do Tempo que, com regras próprias e diferentes, gere também trabalho voluntário. E é diferente porque aqui a contrapartida é também trabalho voluntário.

 

Gostava de saber qual é o dia escolhido para Dia Internacional do Voluntário? E o Ano internacional dos Voluntários? Quais os direitos de um voluntário, quais os seus deveres, para que serve o cartão, onde e como funciona o Banco do Tempo?

 

Esclareceremos este e outros aspectos no próximo dia 3 de Junho, das 10H00 às 11H00, na Rádio Local de Torres Novas (Torres Novas – FM – 100.8). É a esta hora que vai para o ar, em directo, o nosso Portal da Amizade radiofónico. Pode contactar-nos para o nº 249 826 821 durante o programa, para nos colocar questões ou partilhar experiências. Em qualquer outro dia, a qualquer hora, para os nºs 249825721/ 967813925, por escrito para Portal da Amizade, CCROSTO, Rua Padre Amílcar Fialho, Bloco 1, c/v Dta, 2350 TNovas. Pode ainda fazê-lo para o email rostoamigo@gmail.com

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados