SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 20 Junho 2021, 10:09

O Portal da Amizade: O Divórcio (1)

“O amor é míope e o casamento não passa de um bom par de óculos”, diz o ditado. E por vezes, quando tudo se torna mais claro, parece não ser possível continuar a viver com a pessoa com quem fizemos votos de amor eterno. No entanto, se a vida a dois é difícil, colocar fim a uma união não é, na maior parte dos casos, um desafio fácil. A separação é considerada uma das maiores causas de stress, com uma intensidade na dor semelhante à perda de uma pessoa querida.

Segundo um estudo efectuado em 2006 pelo Instituto de Política Familiar de Madrid, Portugal é o País da União Europeia com maior número de divórcios, logo seguido pela Itália e pela Espanha. Segundo este estudo, na União Europeia ocorre um divórcio em cada 33 segundos. Em cada dois casamentos um termina em separação. 

Por sua vez, o Instituto Nacional de Estatísticas divulgou, em Setembro de 2008, as estatísticas demográficas relativas à situação portuguesa durante o ano de 2007. Verificou-se uma diminuição no número de casamentos e um aumento nos divórcios comparativamente a 2006. No decorrer de 2007 celebraram-se 46 329 casamentos (47 857 em 2006) e foram decretados 25 255 divórcios (23 935 em 2006 e 13 584 em 1993). Verifica-se que quase duplicou nos últimos 14 anos. 

Este aumento, segundo alguns estudiosos, explica-se pela mudança de concepções sobre o casamento. Hoje predomina a ideia de que podemos controlar a nossa relação, que podemos mudá-la. O amor é visto como uma promessa de realização pessoal. Aposta-se muito na felicidade ao lado de alguém. E se esta felicidade não é sentida então é sinal de que não vale a pena investir mais nesta relação. A felicidade, como realização individual, sobrepõe-se a tudo. A pressão da sociedade actual para atingir a felicidade, o bem-estar pessoal, dá-nos uma menor resistência às frustrações. Esta felicidade passa muitas vezes pelo sucesso profissional e pela maior capacidade económica e autonomia por parte das mulheres.

Actualmente o casal luta não só pelo sucesso profissional como também por melhores condições económicas. Na procura do Bem-Estar da família atinge-se, cada vez com mais frequência, o oposto, a desestruturação familiar, pela falta de tempo em família, pelo afastamento dos cônjuges e consequente separação. O casal enfrenta muitas preocupações em simultâneo: trabalho, casa, filhos, por vezes os pais, … 

Mas o divórcio não acontece de repente. Existem alguns sinais de alerta que se prolongam por períodos de tempo variáveis aos quais devemos prestar alguma atenção, caso a nossa prioridade seja conservar a família unida. Se detectados atempadamente permitem-nos alterar comportamentos ou até procurar ajuda técnica que poderá passar pela Terapia Familiar ou de Casal. São eles a rotina, a acomodação, a intolerância relativamente aos familiares do cônjuge, os problemas com a educação dos filhos, o sentimento de frustração quanto a realização pessoal, as questões do dinheiro, a intolerância perante as falhas do outro, etc. É necessário estar atento e não os negligenciar com o tão usado “deixa andar”. Esta atitude só levará a um aumento do mal-estar que levará a uma crise no casal. É da repetição destas crises que normalmente se chega á rotura conjugal. Uma das formas de prevenir esta situação é comunicar, dialogar sobre todas as questões que parecem não estar esclarecidas. 

Este é um tema que tem muito a explorar. Assim no próximo Portal da Amizade continuaremos a abordar o divórcio focando-nos nos seus Mitos, nas Consequências nos Filhos, no aparecimento das chamadas Famílias Mosaico, nas Questões Legais e outras que sejam do vosso interesse e nos sejam colocadas.

Se este artigo lhe despertou interesse convidamo-lo(a) a estar connosco para partilhar os seus saberes, ou as suas experiências, na Rádio Local de Torres Novas (Torres Novas – FM) no próximo dia 25 de Fevereiro, das 10H00 às 11H00. É a esta hora que vai para o ar, em directo, o nosso Portal da Amizade radiofónico. Pode contactar-nos para o nº 249 826 821 durante o programa, para nos colocar questões ou partilhar experiências. Em qualquer outro dia, a qualquer hora, para os nºs 249825721/ 967813925, por escrito para Portal da Amizade, CCROSTO, Rua Padre Amílcar Fialho, Bloco 1, c/v Dta, 2350 TNovas. Pode ainda fazê-lo via Net para o email rostoamigo@gmail.com


Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados