SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 19 Junho 2021, 07:14

Os Devoristas Disto Tudo!

As notícias, as más notícias, voam nas asas do vento e surpreendem-nos todos os dias, como se não percebêssemos, há muito tempo, que as trapalhadas da devoração andam todas ligadas.

Veja-se a confusão do chamado Grupo Espírito Santo. Chegou-se ao cúmulo de ser a PT a emprestar dinheiro, e foi uma grande carrada de massa, ao Grupo Bancário. Até parece que anda tudo ao contrário. Então, o normal não seria os bancos emprestarem dinheiros e as empresas dos telefones venderem ou alugarem telefones?

Mas sobre o Grupo bancário aparecem todos os dias novidades mesmo novas. Veja-se por exemplo o caso do Secretário-geral da UGT que deveria servir par defender os trabalhadores filiados naquela central, mas invocando a sua qualidade de trabalhador do BES – parecendo esquecer-se da função que exerce a tempo inteiro na UGT que certamente lhe paga o ordenado e as consequentes mordomias – afirmou, segundo o jornal “I de 21.06.14 que “acompanhou com preocupação o problema da sucessão e criticou a decisão do Banco de Portugal ”de correr com a família”. Aliás, o mesmo senhor, também segundo o jornal “I” de 25.07.14, disse em 2013, “Sem Ricardo Salgado não podia ser líder da UGT”. Não consigo perceber este tipo de barafundas. E, para espanto de muitos, continua no mesmo sítio.

E a TAP? Há cancelamentos de voos às dezenas, passageiros com bilhete pago encaminhados para empresas de segunda linha, avarias nos aviões mais do que frequentes, com prejuízos a carregarem o vermelho das contas e agora que os pilotos marcam uma greve de um dia, aqui d’el-rei que a empresa vai perder milhões? Tudo parece encaminhado para que se siga a regra do quanto pior melhor. É a maneira da empresa poder ser oferecida a algum amigo, receber os tais seis aviões novos para nós pagarmos e acabar-se com mais uma empresa que poderia e deveria ser uma bandeira deste país.

Muitas das jóias da coroa foram vendidas ao desbarato para que se realizasse dinheiro para que a divida baixasse. Mas aconteceu exactamente o contrário. A dívida não pára de subir e o défice também não desce, apesar de toda a austeridade imposta. A EDP, a REN, a GALP, os CTT, a PT e tantas outras foram-se e a divida e o défice continuaram a subir. Qualquer dia vai a RTP, apesar de andarem calados, a CGD também, apesar do silêncio ensurdecedor, as Águas de Portugal e a TAP também seguirão o mesmo caminho, se entretanto não for mais nada saldado pela porta fora.

Razão tem o Vasco Pulido Valente quando diz no Público de 27 de Julho que “agora anda por aí um escândalo financeiro que entusiasma o jornalismo e os peritos.” Mas diz mais, referindo-se a exemplos passados ainda no tempo da Monarquia; “Portugal tem finalmente um escândalo, apesar de ser um país pouco dado a escândalos. Para quem não se lembra, houve até uma série de governos que mereceram o nome genérico de “Devoristas” pela maneira como venderam os bens da Coroa e da Igreja aos notáveis do liberalismo. Como houve também um ministro que deitou fogo ao Ministério das Finanças, para se livrar dos “papéis” da divida pública e privada. Ninguém se atribulou excessivamente com estas ligeiras irregularidades e os culpados, ou presumíveis culpados, viveram o resto da sua vida gozando da consideração da Pátria e dos seus pares. Alguns morreram generosamente condecorados e homenageados por um luto nacional a que a rainha, a corte e o parlamento se associaram com toda a sinceridade”.

Não vale a pena dizer mais nada. Estas trapalhadas estão no sangue de certas pessoas, porque as outras vão consentindo todo este esbulhar.

Até na recente cimeira da CPLP, os nossos maiores foram “surpreendidos”, como disseram, com a entrada de um país que não fala português, que não vive em democracia, mesmo que encapotada, mas que tem petróleo e certamente dinheiro para emprestar a algum banco que tenha andado a viver acima das suas possibilidades.

Entretanto, depois da saída do Ministro Gaspar para o FMI, a seguir já se fala que a sua substituta irá para a União Europeia parecendo que, finalmente o Moedas, o empregado da Goldman Sachs, irá ser a breve prazo, o sucessor da Maria Luís para melhor cumprir a missão que o trouxe, em comissão, de regresso a este cantinho.

Que dizer mais? Que o Sporting está a fazer, segundo as noticias, um bom principio de época e o Benfica nem por isso.

Boas férias, para quem for de férias.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados