SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 23 Junho 2021, 02:49

Torres Novas e a sua vivência cultural

 

Foram várias as iniciativas culturais e históricas, que aconteceram no último fim-de-semana, na cidade torrejana. Fomos dos privilegiados a participar em algumas, porque ainda temos muito para aprender e conhecer, apesar da idade. Só lamentamos que uma boa parte da juventude torrejana e que mostra interesse pelas coisas culturais, esteja sempre ausente. É sinal dos tempos, em que os hábitos de leitura cada vez são menos e a participação nas iniciativas culturais, diga pouco mesmo a professores de história, quanto mais aos alunos. É o País que temos…

 

Vamos tentar, em breves palavras, falar das iniciativas levadas a cabo e que tiveram, como é já habitual, a presença reduzida de torrejanos. Dizia-nos um amigo que faz sempre questão de estar presente, «somos sempre os mesmos». Mas acrescentando, «somos poucos, mas bons».

 

No sábado de tarde, dia 15, na Biblioteca Municipal, foi apresentado pelo Prof. Eduardo Bento, o novo livro sobre o futebol em Torres Novas, «cem anos do futebol em Torres Novas», da autoria de João Carlos Lopes. Tratando-se do tema futebol, não se chega a perceber porque razão não estiveram presentes mais adeptos do futebol, porque de certeza teriam muito a aprender e ficavam a conhecer os primórdios do futebol na cidade torrejana.

 

Mais tarde e no Museu Municipal Carlos Reis, na Noite dos Museus, a arqueóloga Prof. Dr.ª Salete da Ponte – pessoa amiga que conhecemos nos anos setenta – deu-nos uma lição de história, ao falar sobre a exposição de Moedas Romanas, patente no museu.

 

Falou da sua importância, do seu valor e da vida política e cultural dessa época e que se estendeu por várias gerações e dinastias. As moedas que fazem parte do espólio da Villa Cardilium, todas apresentam sempre o busto do imperador. Esta visita permitiu, também, a possibilidade de observar a reestruturação da Sala de Pintura Carlos Reis, trabalho esse efectuado pela equipa técnica do Museu.

 

Também neste dia acontecia, na galeria Neupergama, a inauguração da exposição «Tempos Vários», com a presença de alguns pintores, o que permitiu um excelente convívio cultural.

 

Mas sobre este evento falaremos noutro espaço.

 

A fechar um fim-de-semana muito cultural, o concerto do Choral Phydellius, no Virgínia, na passagem do seu 52.º aniversário. Quem viu, como nós, quase nascer o Phydellius, é com satisfação e redobrada alegria que hoje sentimos, por ver que o choral cresceu muito, no aspecto musical, no capítulo cultural e, acima de tudo, no capital humano, que é a sua razão de ser.

 

Passaram-se 52 anos e parece que foi ontem que o ouvimos, pela 1.ª vez, na igreja do Salvador. Parabéns, pois, pelo Aniversário.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados