SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 16 Junho 2021, 02:56

Os tempos mudam… depressa

É a conclusão a que chegámos no que diz respeito ao papel da mulher na sociedade. A ascensão tem sido rápida e hoje vemos mulheres em cargos de grande responsabilidade. O desporto foi uma das que se abriu ao sector feminino para logo a seguir abraçarem quase todas as modalidades desportivas.

Apesar de hoje as mulheres terem uma formação superior, continuam a ter algumas dificuldades no que diz respeito aos empregos. Apesar de ganharem menos em relação aos homens, apesar do executarem as mesmas tarefas, quando as opções aparecem o homem tem a primazia. As questões da gravidez ainda incomodam alguns empresários porque ainda não compreenderam a importância que é para a sociedade o nascimento de uma criança.

Vem isto a propósito da abertura na Escola de Polícia da Cidade de novos candidatos a polícias. Foram muitos que se deslocaram de vários pontos do País, onde as mulheres marcaram boa presença. São testes que vão seleccionar os mais capacitados física e mentalmente. Nem todos conseguirão passar, apesar de tentarem. As mulheres tentam encontrar uma profissão que lhes garanta tranquilidade.

As mulheres estão a chegar à Polícia de Segurança Pública – e a outras polícias, claro – porque descobriram que também podem desempenhar a função com responsabilidade, apesar de saberem que correm riscos, como em qualquer outra profissão. É bom que isso aconteça porque a mulher tem uma sensibilidade diferente da do homem. E este equilíbrio só traz vantagens à cooperação.

* *

O mês de Agosto é por excelência o mês dos nossos emigrantes. Já falámos deste assunto, mas voltamos de novo porque a presença dos nossos emigrantes, na Cidade, aumentou consideravelmente. Por todos os lados os vemos, passeando pelas zonas verdes de Torres Novas. Uma visita ao Castelo, ao Museu e Piscinas «Fernando Cunha», além de outros locais, são as zonas da sua preferência.

Um pouco mais velhos, porque a idade não perdoa, ficamos radiantes por ver que a saúde ainda é boa. Sinal de que têm sabido viver a vida com regras, apesar de trabalharem fora do País. Alguns já reformados depois de tantos anos de trabalho. Todavia não pensam regressar porque a Família está ali a viver. A nova geração ali nasceu e aprendeu outra língua e outra cultura. Mas não esqueceu Portugal e a Língua de Camões.

Torres Novas e Concelho tem emigrantes em muitos países. França, Alemanha, Suíça e Inglaterra. Até temos torrejanos no Canadá e na Austrália, que é o fim do mundo. Torres Novas nunca fez uma Festa dos nossos Emigrantes, que bem mereciam. É uma coisa a pensar no futuro através de um estudo que se pode fazer sobre o número de Emigrantes da Cidade e do Concelho. A maioria das pessoas não tem a noção do número de Emigrantes que trabalham na Europa, nos Estados Unidos, no Canadá e noutros países. Aqui deixamos a ideia para ser canalisada no sentido da sua viabilidade. O mês de Agosto é o ideal para juntar os nossos Emigrantes.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados