SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 14 Junho 2021, 01:42

Os bons exemplos…

 

Os Amigos Timorenses estiveram em Torres Novas, em visita de cortesia, pelo trabalho autárquico feito, em Timor, pela autarquia torrejana. Eles reconheceram o papel importante das autarquias, junto das populações. E querem aprender com os portugueses, com os torrejanos em primeiro lugar. Na verdade, depois da Liberdade conquistada, as autarquias têm sido, com algumas excepções negativas, o que de melhor trouxe a Democracia.

 

Uma boa parte das câmaras municipais do País, têm feito um trabalho notável junto das populações. E a câmara torrejana também tem contribuído para esse bem-estar nacional. É certo que muito há ainda a fazer, particularmente no capítulo da habitação, no sentido de trazer casais jovens para viver no centro histórico, ocupando as casas devolutas, depois de devidamente arranjadas e alugadas a preços compatíveis. E agora que a Praça Cinco de Outubro está a ser transformada numa área de lazer, seria de boa política que as habitações que estão fechadas a degradar-se – por exemplo o prédio onde funcionou a farmácia Lima – e outros, pudessem ser intervencionados e depois alugados a casais jovens. Vinha animar o coração da cidade, de dia e de noite, onde hoje quase só existem lojas de comércio.

 

Quando as ideias existem, há sempre coisas para fazer. Costuma-se até dizer, que parar é morrer. Outro belo exemplo que tivemos conhecimento, após uma reportagem televisiva, vem da câmara municipal de Mafra. Ou seja os funcionários desta autarquia, têm os fins-de-semana mais prolongados, porque deixaram de trabalhar à sexta-feira. Depois de um estudo, baseado numa experiência norte-americana, os autarcas e os funcionários debateram a questão e aceitaram trabalhar mais 2 horas por dia, para terem a sexta-feira livre. E os benefícios, para todos, funcionários e utentes, são muitos. A começar pelos trabalhadores que vivem fora, para os pais que passam a ter um dia em que vão acompanhar os filhos à escola, que dispõem de mais tempo para tratar coisas oficiais, fazer compras ou mesmo passear, para na segunda-feira seguinte, entrarem ao serviço com outra disposição e mais empenhados. Quanto aos utentes, agora já podem fazer os seus pagamentos, depois da hora de trabalho, uma vez que a autarquia fecha somente às sete. Este horário, que é especial, trouxe muitos benefícios ao município, porque é mais um dia em que as viaturas e não só, estão paradas. Aqui está um belo exemplo, do que se pode fazer, para se rentabilizar e poupar.

 

Tem sido o mal deste País, não haver uma reestruturação de todos os serviços – desde a saúde à escola – no sentido de a colocar a funcionar de acordo com a realidade das populações e dos trabalhadores.

 

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados