SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 12 Junho 2021, 16:08

Cheira a eleições… eles aparecem!

 

É ano de eleições e tudo indica que teremos de novo Santana Lopes candidato à Câmara de Lisboa. Que saudades dos beberetes e festanças quase diários no seu mandato, deliciando não só santanistas, mas também as santanetes. Além do mais, Lisboa ainda tem, depois da feira popular, mais algumas feiras para vender, como a feira da ladra, a feira do relógio, etc. Oxalá não se candidate Santana alguma vez à Câmara de Torres Novas, senão lá vai o que resta da saudosa feira de Março. Convém recordar que Santana, quando presidente, destituiu do cargo a responsável pelo Departamento Financeiro da Câmara, por esta se ter recusado a incluir em despesa de serviço gastos dele com o cartão da Câmara, em Paris, onde se deslocou, com compras pessoais, assistir a um torneio de ténis, etc., tudo à conta do contribuinte. Ser sério tem o seu preço. E a coragem de ter excluído as verbas que não deviam ser pagas pela Câmara, valeu àquela responsável a sua destituição.

 

Lisboa já terá saudades dos cartazes de Santana pela capital publicitando o seu gabinete de imagem, outros anunciando que tinha sido feito isto e aquilo, enfim, gastando milhares euros em publicidade quase, às vezes, para dizer que tinha feito o que não fazia. Sem falarmos num grupo de trabalho que se formou no seu tempo, composto de engenheiros e arquitectos para vistoriar prédios com a barba feita mas que por dentro estavam completamente degradados. Santana ficou ainda conhecido pelas suas rambóias. Nem fazia questão de ser discreto. Por exemplo ir jantar a um restaurante italiano numa das torres de Sete Rios, propriedade de uma amiga sua e ex-namorada (nada contra) atraindo à janela toda a vizinhança com a algazarra dos seus seguranças e guarda costas, tudo, como se diz na gíria, à conta do otário. Ou ainda pelo encerramento de vários centros de acolhimento, sem criar alternativas, onde os sem-abrigo tinham uma refeição quente, tomavam um banho, tinham a roupa lavada, ou mesmo, em casos extremos, dormiam uma ou outra noite. O seu constante aumento pela capital, com o encerramento do que é público, de que se podiam servir, nomeadamente casas de banho, torna evidente em certas zonas da cidade o cheiro a falta de higiene.

 

Sobre uma eventual eleição de Santana, apetece dizer, como diz a canção, «Para melhor está bem está bem, para pior já basta assim». Quanto ao candidato do PSD, Santana não é consensual nem pouco mais ou menos. Para Manuela Ferreira Leite, como se sabe, terá sido mais um sapo a engolir, já que, é publicamente conhecido, ela não gosta de Santana nem com açúcar. Isto prova apenas a sua incapacidade de encostar, ou pôr na ordem, os «indomáveis», a quem Cavaco Silva chamou um dia, «barões» do PSD.

 

Como se sabe, reina, de forma geral, uma profunda crise económica a nível internacional. Mas há quem passe ao lado, mande a crise económica às urtigas, apresente outra lista de preocupações, e não deixe mesmo os seus interesses por mãos alheias. Uma mulher italiana, de 55 anos, vai receber 50 mil euros como ressarcimento por oito anos sem relações sexuais com o seu marido. Ou seja, o marido da senhora quando passeava de bicicleta foi atropelado mortalmente pelo condutor de uma mota. A senhora, que não brinca em serviço, levou o caso a tribunal, e o juiz Fabrísio Pelosi, de La Spezia, nordeste de Itália, teve em consideração os danos morais e biológicos sofridos pela senhora, pelo fim abrupto de uma vida sexual serena durante 27 anos de casamento. Com o fogo não se brinca! Tá certo… o seu a seu dono!

 

Olhem qu’isto!

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados