SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sexta-feira, 25 Junho 2021, 08:35

Morreu o “Bom Rebelde”

Não sei o que escrever do tanto que tenho para dizer.

Morreu o meu grande, grande Amigo, José Maria Amado Zuzarte Reis.

Estou a ser egoísta, porque ele não foi só meu Amigo.

Foi amigo de muitos e, acima de tudo foi, quiçá, o maior benemérito de Torres Novas, embora os beneméritos não sejam dimensionáveis.

Deu a muitos o que, nas horas difíceis, muitos lhe pediram. Com descrição e sem esperar gratidão.

Apesar das dificuldades iniciais por que todas as empresas passam, foi um grande empresário que tinha orgulho em ajudar os seus funcionários e ajudar a sua terra amada. Tinha, por isso, a maior empresa do ramo, de toda a Península Ibérica. Deu emprego a centenas… e nunca ostentou as suas reais possibilidades. Foi humilde e discreto, com orgulho no bem-estar dos seus funcionários.

Foi grande empreendedor, numa fase em que quase ninguém disso falava.

Emocional e, por isso, por vezes desconcertante, tinha sempre uma escondida lágrima de emoção, quando confrontado com problemas de terceiros.

Os problemas da vida…

Ainda há dias me contava, emocionado, o drama de um familiar que naquele dia tinha sabido de um grave problema de saúde.

A sua vida dava, sem qualquer exagero, um autêntico livro de histórias únicas para contar… Nem sempre as que ele próprio mais tarde gostaria de revelar pois, para ele, a vida também foi de aventura e de descobertas… e de rebeldias…

Foi bom para quase todos… muitas vezes, menos bom para ele e para os seus. E ele assumia essa vertente menos bem conseguida do seu ser.

Mas o Zé Maria era assim.

Foi assim, como todos!

Na década de 90, o que ele apoiou o desporto de Torres Novas…!

O que apoiou nas colectividades e outras instituições da nossa terra!

Esse é o segredo que vai com ele.

Hoje, que partiu, também é hora de gratidão.

Foi o grande promotor dos anos de ouro do Clube Desportivo, nos finais da década de noventa.

Foi ele que me indicou ao PS Nacional para me candidatar à Câmara de Torres Novas… Mas nunca, nunca mesmo, disso se quis valer.

À dor da sua morte, junto a desgraçada coincidência de não poder estar presente, junto dele, na capela de Sto. António para lhe dar um afago de despedida.

Meu Caro Zé Maria,

Não me esquecerei de dar o seu abraço ao Presidente Xanana Gusmão, tal como o senhor e sua esposa, há dias me pediram.

Se hoje fosse presidente da autarquia, poria em cima da mesa a proposta de dar o seu nome a uma viela, rua ou outra “coisa” qualquer, para que os de hoje e os vindouros dele se recordem sempre.

Porque ele merece,

A nossa terra está mais pobre.

Morreu o bom rebelde.

A toda a família, fica a expressão da minha dor e saudade.

Estarei presente em espírito.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados