SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sábado, 19 Junho 2021, 15:45

Paço: Mais de meio milhar de pessoas na Festa das Sopas

 

Este foi o sétimo ano da Festa das Sopas em Vila do Paço, e o que começou por uma brincadeira, tornou-se numa iniciativa que já ultrapassa todas as expectativas.

 

“Isto de início foi uma brincadeira”, recordou a presidente da direcção, Clotilde Sentieiro. “Precisávamos de dinheiro para acabar as obras da Sociedade Filarmónica e Recreativa de Vila do Paço, e eu pensei em falar com a direcção: Vamos fazer uma Festa das Sopas – sugeri eu. E assim juntámos o útil ao agradável. Divulgamos a nossa gastronomia. A sopa é hoje a base da alimentação. O Chefe Silva e a Filipa Vacondeus dizem o mesmo: Se tivermos sempre uma sopinha no frigorífico, temos quase a refeição feita. Por outro lado, assim também conseguimos juntar os euros que tanto precisamos para terminar as nossas obras. Para mim é muito gratificante ver as pessoas da aldeia a trabalhar toda a manhã para oferecer estas sopas. Pessoas da aldeia e não só. Este ano juntaram-se duas pessoas dos Pousos, sócias da colectividade, outra dos Soudos e ainda duas de Torres Novas”, lembrou.

 

De ano para ano os participantes nesta festa têm vindo a aumentar e este ano foram superadas todas as expectativas. “Começamos com 150 a 200 pessoas, e tem vindo sempre a aumentar. Este ano tínhamos para vender 400 tigelas e não chegaram. Tivemos de ir às dos anos anteriores. Estão aqui mais de 500 pessoas!”, afirmou. Para além das 40 sopas, havia ainda as petingas albardadas, as pataniscas, os rissóis os croquetes, os pastéis de bacalhau e, para adoçar a boca, o arroz doce, entre outros doces e bolos.

 

“Sinto-me muito feliz!”, desabafou a presidente, “veio muita gente de todo o distrito de Santarém e de Castelo Branco também. À tarde teremos as Concertinas do Redondo a alegrar a festa, porque, depois do estômago cheio, as pessoas gostam de ficar sentadinhas a ouvir uma boa música popular. A festa para ser festa tem de ter música.” acrescentou.

 

Célia Ramos

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2021 © Todos os direitos reservados